QUE MALTE PERGUNTE… tem cerveja na floresta?

❤ Por Marias Bonitas

Olá cervejeiras(os)!
Pelo fucking título, você agora já está sabendo o tema da edição 2020 (ui que nervoso!) do Que Malte Pergunte. o/

SENHORAS E SENHORES!

Gostaríamos de anunciar o QUE MALTE PERGUNTE… TEM CERVEJA NA FLORESTA?Poplar Forest in Fuente Vaqueros, Granada, Andalusia, SpainInspiradas nas forças da natureza e resgatando a história da cerveja, o tema do próximo ano tem foco nas fermentações abertas, no uso de madeiras, Brettas, ervas, PANC, especiarias, flores, frutas. Vai ser lindimais!

E o anúncio tão antecipado da edição está relacionado ao tempo que será necessário para a fabricação dessas cervejas. Chamem os elfos, anões, fadas e todos os seres/entidades das florestas para inspirarem vocês na hora de preencher o formulário para troca de cervejas por ingressos! kkkk Temos pelo menos 7 meses. COMECEM LOGOOOO!

O evento acontecerá dia 25 de janeiro de 2020, das 16:00 à 00:00. ANIMADOS(AS)? 8h de festa!

O “Que malte pergunte…” (QMTP) nasceu da vontade das confreiras da Maria Bonita Beer em estimular os(as) produtores(as) de cerveja artesanal da região, a saírem da zona de conforto e se desafiarem a criar cervejas baseadas em temáticas específicas.

Mas é claro que a gente tinha que adicionar aquele toque desafiaDOR! 😉

Na edição “  Tem cerveja na floresta?” o desafio é utilizar principalmente Brettas e/ou madeiras, mas você pode fazer uso de lactobacillus, Saccharomyces, frutas, flores, tudo que a natureza te deu (desde que seguros para o consumo humano ¬¬).

“Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado.” (Gandalf)

Se você é cervejeira(o) caseiro(a) e deseja trocar cerveja por ingresso, clique aqui e faça o download do regulamento.

O nosso objetivo é:

  • fomentar a cultura cervejeira no estado de Pernambuco valorizando os produtores;
  • estimular a troca de conhecimento entre os(as) cervejeiros(as) caseiros(as) em um momento de confraternização;
  • apresentar para a comunidade, as microcervejarias e os micronegócios locais relacionados a cerveja.

Ao longo dos próximos dias, vocês receberão mais detalhes do  Que malte pergunte… tem cerveja na floresta? em nossas redes sociais e aqui no blog.  Então a dica é seguir a gente em tudo que é canto.

Facebook: /mariabonitabeer
Instagram: @mariabonitabeer

Os ingressos serão vendidos logo mais!

INTERESSADO EM APOIAR NOSSO EVENTO?

Envie um email para mariabonitabeer@gmail.com o quanto antes, e te enviaremos um projeto super simpático para você saber como nos apoiar. Será um prazer ter a sua marca em nosso evento! 

Beijos selvagens pra vcs! ❤

Como foi o Que Malte Pergunte 2019?

❤ Por Marias Bonitas

A gente sempre começa a escrever este post meio anestesiadas de tanto amor, alegria e satisfação em ter feito um evento tão legal para a cena cervejeira! E VOCÊS SÃO LINDIMAIS por acreditarem no Que Malte Pergunte e no padrão Maria Bonita de fazer eventos. #ModestiaFicouEmCasaENuncaMaisVoltou

Foto oficial QMTP 2019 | Foto: @andersonmmlopes

Há mais cervejas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia…

Teve recepção calorosa na entrada?
Teve o pint mais disputado de Recife?
Teve gente fantasiada?
Teve decoração ba-ba-do?
Teve cervejas incríveis feito pel@s cervejeir@s caseir@s mais arretad@s do nordeste?
Teve apoiadores e patrocinadores maravigolds nos ajudando a tornar tudo mais incrível?
Teve rock, bebê?
Teve batalha de DJ’s?

SIMMM! Teve tudo isso e muito mais. 😉

Pint higienizado para degustação na festa | Foto: @andersonmmlopes
Pint QMTP 2019 | Foto: @andersonmmlopes
Pint QMTP 2018 e 2019 | Foto: @andersonmmlopes

O “Que malte pergunte…” (QMTP) nasceu para estimular os(as) produtores(as) de cerveja artesanal da região, a saírem da zona de conforto e se desafiarem a criar cervejas baseadas em temáticas específicas. Nessa edição a proposta foi fazer uma verdadeira batalha entre cervejas da Escola Alemã e que seguem a Lei da Pureza e as cervejas que chamaremos de “Impuras”, todas as maravilhosidades de estilos que acrescentamos algo mais que água, malte, lúpulo e levedura (além de açúcar de cana e beterraba e malte de trigo).  E toda a decor da festa, foi na pegada céu e inferno. MU-HAHAHA

Céu QMTP 2019| Foto: @andersonmmlopes
Photobooth QMTP | Foto oficial QMTP 2019 | Foto: @andersonmmlopes
Photobooth QMTP | Foto oficial QMTP 2019 | Foto: @andersonmmlopes
Inferno QMTP 2019 | Foto:  @andersonmmlopes

Vamos aos números, que sabemos que vocês amam! ❤

Números

  • 250 pessoas participaram do QMTP 2019 no Jardim Aurora;
  • Foram mais de 38 cervejas distribuídas em muitas torneiras;
  • 13 microcervejarias (Pernambuco, Rio Grande do Norte e Alagoas) colaboraram com cervejas e na infraestrutura do evento;
  • 4 incríveis empresas cervejeiras patrocinaram o QMTP2019;
  • 3 operações de comida harmonizaram as nossas cervejas.

 

Cantinho da Eisenbahn | Foto: @andersonmmlopes
Todos a bordo? Team Eisenbahn | Foto: @andersonmmlopes

Cervejeiros Caseiros ❤

Eu sei que apelamos dessa vez, não é fácil fazer cerveja da Escola Alemã. Mas a qualidade… ah! a qualidade! Novamente impressionou. Estamos muito orgulhosas. ❤

  • Paulistense
  • Malassombro Cerveja & Spiritus
  • Weissdorn
  • Cabaret
  • Harmonic
  • MagnaHop
  • Maluvida
  • Gran Malte
  • Coroné Cervejaria Artesanal
  • Cacobeer
  • Desmiolada
  • Paulistense
  • Arrecife
  • Weissdorn
  • Cervejaria Peba
  • Las Musas e Beth Tschá
  • Orgástica
  • Caxangá
  • Dan Oliveira
  • Cerveja Artesanal Studio 122
  • Confraria da Pimenta
  • Autoral

Tivemos nossa votação popular para eleger as melhores cervejas da noite, foi uma disputa bem acirrada entre os cervejeiros(as) caseiros(as), com premiação topzeira dos nossos queridos patrocinadores, no final ficou assim:

PREMIAÇÃO 1 LUGAR:
Levteck: R$ 200,00 em produtos
Bräu Akademie: 30% de desconto no curso de Tecnologia Cervejeira

PREMIAÇÃO 2 LUGAR:
Levteck: R$ 100,00 em produtos
Instituto Ceres: 1 taça sommelier e um avental personalizado

CERVEJAS PURAS
1 LUGAR – Cervejaria Cabaret (Autores: Christophe De La Fuente e Lucy Cavalcante)
Cerveja: Dunky Show
Estilo: Munich Dunkel
2 LUGAR – Cervejaria Paulistense (Autoras: Márcia Virgínia e Maria Betânia)
Cerveja: Puro Charme
Estilo: Dunkles Weissbier

CERVEJAS IMPURAS
1 LUGAR – Cervejaria Autoral (Autor: José Roberto)
Cerveja: Pepper Guava IPA
Estilo: American IPA com Goiaba e Pimenta (trigo, aveia e açúcar)
2 LUGAR – Cervejaria Harmonic (Autores: Vitor Filho e Flávia Marques)
Cerveja: 50 tons de menta
Estilo: Sour com hibisco e menta

Paredão da Cervejaria Debron, nossa parceira, com cervejas puras e impuras                     Foto: @andersonmmlopes

 

Chopeiras com cervejas puras e impuras | Foto: @andersonmmlopes

Patrocinadores

Vocês foram incríveis! Nada escrito vai representar nossa gratidão por essa confiança.

Patrocinadores | Foto: @andersonmmlopes

Quem quiser ver se saiu bem na foto, dá uma passadinha na nossa página do Facebook, todas as fotos do evento estão lá. 🙂

Parceiros

Teve comida típica alemã, teve opção vegana, tiveram os docinhos sempre maravilhosos!

Cervejarias Parceiras

Umas amigas do coração, umas começando esse relacionamento de amor. Obrigada pelo apoio de sempre cervejarias!

Apoio

Como sempre, queremos seu feedback. Nos ajude a melhorar a próxima edição do QMTP. É só preencher esse formulário aqui e nos contar como foi a sua experiência com o evento.

E podem estar certos que outra edição virá, dessa vez, com uma nova temática. Alguém arrisca um palpite? 😉

Brut IPA: nova tendência cervejeira

❤ Por Patt Sanches

Depois das polêmicas New England IPA (incluída recentemente no BA 2018 na categoria Juicy or Hazy Ale Styles), das MilkShake IPA (IPAS com adição de lactose) e das Catharinas Sours (em luta para reconhecimento no BJCP, ou não rsrs), o novo burburinho está em cima das Brut IPAs, mas o que seria isso?

Para quem não sabe, o estilo Brut, também conhecido por bière de champagne ou bière brut, é uma cerveja extremamente leve, delicada e elegante, de baixo amargor, que utiliza o método champenoise* para auxiliar na alta carbonatação e sensação frisante, além de conferir complexidade aromática (devido aos ésteres e aos fenóis principalmente) e contribuir para a remoção quase que completa das leveduras residuais, conferindo uma cerveja limpa, brilhante e transparente.

O serviço dela é feito em taça flute ou flauta (uma taça esguia de boca e corpo estreitos a fim de evitar a rápida dispersão da carbonatação) e o resultado é um perlage** perfeito. Costumo dizer que a sensação é de beber estrelas! ❤ #soudessas

*Champenoise = já falamos um pouco do processo de produção de algumas bruts aqui no blog. Apesar de ser um post antigo, recomendamos a leitura antes de prosseguir (clique aqui).
**Perlage = mini bolhas ou “pérolas”, oriundas da carbonatação (natural ou forçada), que se desprendem dinamicamente do líquido; muito comum em cervejas do tipo brut e em espumantes.

Bière brut Lust Fonte: Blog Cervejas Artesanais do Brasil

 

Bière brut Wals Fonte: Divulgação Wals

Não há descrição do estilo em nenhum dos guias de estilos mais comuns entre os cervejeiros (o do BJCP e o da Brewer’s Association). Porém, o estilo que chega mais próximo no BJCP, seria o 25c (Belgian golden strong ale), descrita como:

Belgian Golden Strong Ale: “(…)uma ale de estilo belga, complexa, efervescente, e forte, altamente atenuada; com características de notas frutadas (…) com preferência aos compostos fenólicos. Com sensação de boca frizante, altamente carbonatada; efervescente” (BJCP 2015).

Mas e as Brut IPAs?

Um Brut IPA da Magnolia Brewing. Fonte: timesunion.com

Bom, a primeira descrição que temos registro, veio da Cervejaria São Franscisco (SIC). Onde o cervejeiro, que sempre utilizava enzimas extras (para decompor quaisquer açúcares residuais do processo de mosturação) para tornar suas Stouts e Porters de corpo leve, sem diminuir o potencial alcoolico, se perguntou: “Que resultado daria se eu utilizasse a enzima numa cerveja mais acessível como uma IPA e de corpo leve, feita com maltes extremamente leves, podendo fazer uso de arroz em flocos ou milho para este fim?”.

 

Explicando rapidamente a questão da enzima:  a cevada passa pelo processo de malteação para ativar algumas enzimas no grão (isso já sabemos). Então quando adicionamos água ao malte, em temperaturas ótimas para a reativação dessas enzimas, elas trabalham transformando o amido em açúcar. Essas enzimas também quebram os açúcares complexos em açúcares mais simples, resultando em bastante açúcar para as leveduras consumirem mais facilmente e converter em álcool e CO2. Para um Brut IPA são adicionadas amilases extras para quebrar ainda mais os açúcares complexos residuais em açúcares simples,  e em seguida a levedura (com a digestão facilitada), faz seu serviço tornando a cerveja mais alcoólica e mais leve ainda.

As Brut IPAs são cervejas de cor clara, um corpo levíssimo, com final seco e consequentemente refrescante, com intensos e elegantes aromas de lúpulo frutados e florais (flores brancas principalmente) conferindo delicadeza. No mundo das IPAs, as brut IPAS basicamente soam como Session IPAs, porém, com o teor elevado de álcool de um IPA comum. Entende?

Também conhecidas como Hop Champagne, especula-se que a técnica permite que possamos admirar as nuances do lúpulo de forma única, uma vez que não há dulçor residual para confundir o paladar, já que o perfil do malte é muito baixo ou nulo.  É totalmente o oposto da proposta da melhor cerveja de todos os tempo da última semana, as New Englands rsrs.

Devido a este meu momento de maternidade, não estou fazendo uso de bebidas alcoólicas, e comprar uma Brut IPA para apenas degustar 1/8 de taça e descartar, seria um sacrilégio, não é mesmo? Então vou ficar devendo, mas a boa da semana é que a Cervejaria pernambucana Ekäut está produzindo uma Brut IPA de forma colaborativa com as cervejarias @5elementoscervejaria  @cervejariaraffe @caatingarocks @mindubier.

Então, em breve, teremos uma Brut da nossa terrinha para degustar! ❤  É legal ver isto acontecer, pois apesar de ser uma cerveja comercialmente cara devido as técnicas refinadas e uso de enzimas que não são nada baratas, esperamos que o “estilo” consiga atingir uma certa popularização no meio cervejeiro e nas prateleiras, afim de que seja incluída nos guias de apoio a cervejeiros caseiros (para a produção das mesmas) e sommeliers (para auxiliar na conceituação e serviço).

Soube que uma cervejaria americana está tentando expandir a técnica para uma uma base de pilsen, criando uma Extra Brut Pilsen, para evidenciar ainda mais a característica de limpa e extremamente leve, mas isso já assunto para outro post! kkkkk

Se a moda pega pelas bandas de cá, já já teremos uma nova candidata para a “bebida que pisca” nas baladas cervejeiras! 😀

Então é isso pessoal! Beijos extremamente carbonatados e lupulados!

Cerveja com amor: casal PattLou | Cervejarias de PE #03

Por Clarice Concê

Um dos grandes sucessos da história cervejeira no Brasil é esse monte de gente que tá transformando paixão em negócio e fazendo muito sucesso. Mas tá pra nascer uma cervejaria tão repleta de amor como a PattLou. E basta conhecer o casal à frente da empreitada para entender que não havia outra maneira deles entrarem nesse mercado.

Como muitos cervejeiros, Patrícia Sanches e Luiz Picelli (Patt & Lou, sacaram?! ;-)) começaram a fazer cerveja em casa e quando começaram a ganhar prêmios pelo Brasil viram que o negócio estava dando certo. Em 2014 eles produziram 200 litros de cerveja de diversos estilos para servir no casamento deles, antes mesmo de montarem a própria fábrica! Foram necessários quase 2 anos passando pelo processo burocrático para finalmente inaugurar a fábrica, em abril de 2016.

AS CERVEJAS

Carta de cervejas da Patt Lou

As cervejas da Patt Lou são carregadas de sotaque pernambucano, dos nomes aos rótulos, e o cuidado e carinho por trás de cada uma delas fica bem evidente. Já são cinco rótulos lançados, Maracatu American IPA, 4All American Wheat (uma brincadeira com o surgimento do termo “forró”), Mangue Bear Oatmeal Chocolate Porter, Reino da Alegria Saison e Nassour Catharina Sour (feita com amoras, é linda e deliciosa!).

Não podemos esquecer também da Cerveja colaborativa que eles fizeram com o Canal Beer School, no Projeto Beer School Labs, onde produziram a Sahti, uma cerveja histórica que utiliza zimbro, lúpulo no macerado e pedras quentes. =O

CANAL NO YOUTUBE

Como se não bastasse fazer cervejas que conquistam todo mundo, o casal Patt Lou tem um canal no YouTube, no qual compartilham experiência e muito conhecimento. Aliás, foi uma das coisas mais bacanas acompanhar os passos de criação da Reino da Alegria (uma Saison incrível com casca de laranja cravo e cardamomo). Paty e Luiz fizeram 7 fermentações diferentes, para experimentar diversas leveduras, e convidaram sommeliers da cidade para fazer análise sensorial das amostras em um teste cego. Isso é fazer cerveja com amor, minha gente, amor e muita seriedade!

Tá esperando o que para se contagiar do amor da Patt Lou?

Convite: Aniversário de 2 anos da MBB

Por Marias Bonitas

16423160_1708811339410382_7666533657487226987_o

A nossa confraria está completando 2 anos, e gostaríamos de convidar você, que nos apoia em todas as ações/eventos e participa junto conosco para celebrar esta data tão especial . 

Vamos tod@s nos reunir no Capitão Taberna (Shopping Parnamirim), dia 09/02 às 20h.

Esperamos vocês lá para comemorar conosco!

Capitão Taberna  
Endereço: Shopping Center Parnamirim 
R. João Tude de Melo, 77 - Parnamirim, Recife - PE
Telefone: (81) 3204-8668

Que malte pergunte, você sabe deixar a sua cerveja cítrica?

Por Marias Bonitas

Olá cervejeiros(as) caseiros(as)!

Como vocês já devem saber, o “Que malte te pergunte, tem limão aí?” contará com cervejas cítricas, enviadas pelas cervejarias e cervejeiros caseiros de Pernambuco e convidados. Então para te dar uma ajudinha na confecção da receita passamos na Villa do Malte , levantamos a lista de lúpulos cítricos de lá e preparamos um verdadeiro guia para cervejas cítricas. Confere aí!
hop

Citra

Quer acertar no aroma cítrico? Use o Citra! O nome já diz tudo e além de extremamente cítrico ele confere aroma frutado que remete a: grapefruit, lima, melão, lichia, physalis, manga. Essa linhagem de lúpulo americano é proveniente do cruzamento de diversos outros lúpulos como Hallertau Mittelfreuh, U.S, Tettnanger, E.K, Goldings.
Substitutos: Amarillo, Galaxy
Cervejas que usam este lúpulo: Route 66 da Cervejaria Estrada (PE),  Capunga Cumade Florzinha (PE), Session Citra (Wäls)

grapefruit untitled beneficios-do-melao8-beneficios-da-lichia-para-a-saude-1physalis-import-export  manga-500x424

Amarillo

O Amarillo é o lúpulo de aroma queridinho dos cervejeiros. O seu aroma floral e cítrico (lembrando maracujá e laranja) é encantador. Apesar de ser relativamente novo no mercado, tem se tornado difícil de encontrá-lo, devido a problemas nas últimas safras. Às vezes é descrito como “super-cascade”.
Substitutos: Ahtanum, Centennial, Cascade
Cervejas que usam este lúpulo: 4All American Wheat da Cervejaria Patt Lou (PE), Way American Pale Ale Single Hop Amarillo

fruta10laranja-300x266

Sorachi Ace

A combinação entre Saaz e Brewr’s Gold não poderia ser mais feliz. Cultivado em quantidades limitadas nos EUA, o Sorachi foi desenvolvido pela japonesa Saporo em 1970 e disponibilizado para produção e comercialização nos USA em 2006. Com seu  traço agradável e refrescante de limão (com notas de chá e sementes de coentro) pode ser uma excelente escolha para saisons, IPAs e cervejas de trigo, seja para amargor (alto teor de alfa-ácidos) e aroma (ato teor de óleos aromáticos).
Substitutos: Não encontrado
Cervejas que usam este lúpulo: Perro Libre Sorachi Berliner Weisse, Brooklyn Sorachi Ace

limaounnamed

Equinox

O equinox é novo no mercado e é o lúpulo de aromas cítricos e herbais que lembram limão, lima, mamão papaia, maçã e pimenta verde. Graças a sua capacidade aromática é uma boa escolha para dry hoppings.
Substitutos: Não encontrado
Cervejas que usam este lúpulo: Dogma Equinox Lover

limaountitledmamao-madurodownloadpimenta-serrano-1344872175254_956x500

TNT

Consegue imaginar um lúpulo alemão tão cítrico? Pois é, o TNT  tem sido usado para substituir o Nelson Sauvin no mercado. Este lúpulo confere aromas de maracujá, uvas e frutas doces. Pode ser usado para aroma ou para amargor. Uma ótima escolha para IPA’s, Pale Ales e Sessions cítricas em geral.
Substitutos: Nelson Sauvin (mas por experiência própria, ele deixa um aroma leve de mamão que pode ser bem desagradável dependendo do gosto do cervejeiro).

fruta10mamao-madurocomo-emagrecer-comendo-uvas-verdes

Pekko

O americano Pekko tem seu nome originado do Deus dos campos e das safras. Apresenta características claras de notas florais, cítrico e mentoladas que lembram melão, abacaxi, pêra, pepino, hortelã, ervas e toque de limão. Maravilhoso não é?
Substitutos: Não encontrado
Cervejas que usam este lúpulo: Stone Old Guardian 2016 – Pekko Dry-Hopped

beneficios-do-melaoabacaximuda_de_pera_d_agua_ou_europeia_1m_enxertada_676_1_20160122173052hortellimao

 Chinook

O Chinook é moderadamente cítrico (grapefruit), de amargor forte e se usado no fim da fervura confere aroma herbal e resinoso (pinho picante), porém, às vezes, pode agregar um aroma de fumaça. oO’.
Substitutos: Columbus, Galena, Nugget e Brewers Gold
Cervejas que usam este lúpulo: Dama Bier Session Lager, IPA Puta Que Pariu (Cervejaria Aqueles Caras).

grapefruit

Mosaic

Mosaic é uma variedade de lúpulo aromático originado através do cruzamento do Simcoe  com o Nugget. Lançado em 2012, o mosaic oferece uma combinação única e complexa de traços de frutas tropicais, floral e terrosa.
Substitutos: Não encontrado
Cervejas que usam este lúpulo:Dogma Mosaic Lover Imperial IPA, Founders Mosaic Promise IPA.

slide-frutas

Cascade

Cruzamento de um casamento perfeito entre entre o Fuggles e o lúpulo Russo Serebrianker, o cascade é bem famosinho pelas suas características aromáticas cítricas, florais, de especiarias, picante e grapefruit. Bastante indicado para dry-hoppings, é tão versátil que pode ser utilizado em cervejas de simples a complexas.
Substitutos: Ahtanum, Centennial, Amarillo.
Cervejas que usam este lúpulo: Ekäut American Pale Ale (PE), Maracatu IPA da Cervejaria Patt Lou (PE), Leffe Royale Cascade IPA

grapefruitlimaountitled

 Columbus

O Columbus é bastante usado para aumentar consideravelmente o amargor. Porém, devido ao seu perfil aromático é um excelente candidato para experiências de “single-hopped” em Pale Ales e IPA’s. Apresenta um excelente perfil aromático e notas terrosas, picantes e citricas são notadas.
Substitutos: CTZ, Chinook, Galena e Nugget.

limaolaranja-300x266unnamed

Todos estes lúpulos vocês encontram na Villa do Malte, assim como uma variedade de maltes, leveduras e equipamentos cervejeiros. A galera lá é altamente capacitada para te ajudar a dar aqueles ajustes na receita. Ah, e se você for fazer cerveja pro nosso evento, ganha 5% de desconto nos insumos lá!

Villa do Malte
R. Profª. Ângela Pinto, 59 – Parnamirim, Recife – PE.
Próximo ao Shopping Parnamirim.
whatsapp-image-2016-12-16-at-12-52-25

 

 

 

 

 

#Publipost

Que malte pergunte… que evento é esse?

Por Marias Bonitas

Olá cervejeiras(os)!
Estamos extremamente felizes em anunciar o nosso primeiro grande evento!

Senhoras e senhores!

Gostaríamos de anunciar o QUE MALTE PERGUNTE… o evento fixo da Confraria Feminina de Cervejas Maria Bonita Beer.

whatsapp-image-2016-12-07-at-16-17-12O “Que malte pergunte…” (QMTP) nasceu da vontade das confreiras da Maria Bonita Beer em estimular os(as) produtores(as) de cerveja artesanal da região, a saírem da zona de conforto e se desafiarem a criar cervejas baseadas em temáticas específicas.

Para isso, planejamos fazer do QMTP um evento que varia a temática em suas edições!

Na edição “tem limão aí?” a proposta é trazer o público para um ambiente ao ar livre, aproveitando os dias ensolarados de verão e apresentar variados estilos de cerveja com caráter cítrico e refrescante para harmonizar com essa estação do ano.

De acordo com o DATAFOLHA, 9 entre 10 PESSOAS que bebem cerveja cítrica pela primeira vez, perguntam: “tem limão aí?”. Ou não! rs.

Para que a experiência seja completa, haverá uma batalha de DJ’s e brincadeiras cervejeiras.

O nosso objetivo é:

  • fomentar a cultura cervejeira no estado de Pernambuco valorizando os produtores;
  • estimular a troca de conhecimento entre os(as) cervejeiros(as) caseiros(as) em um momento de confraternização;
  • apresentar para a comunidade, as microcervejarias e os micronegócios locais relacionados a cerveja.

Ao longo dos 36 dias que faltam para o nosso evento acontecer, vocês receberão mais detalhes do  Que malte pergunte… tem limão aí? em nossas redes sociais e aqui no blog. A dica é seguir a gente em tudo que é canto.

Facebook: /mariabonitabeer
Instagram: @mariabonitabeer

Ingressos à venda pelo link: https://www.eventick.com.br/que-malte-pergunte-tem-limao-a

Já temos presença confirmada de cervejas cítricas de cervejeiros(as), do Rio Grande do Norte, da Bahia e da Paraíba, e de algumas cervejarias  e cervejeiros(as) caseiros de Pernambuco.

Interessado em apoiar nosso evento?

Envie um email para mariabonitabeer@gmail.com até o dia 19 de dezembro, te enviaremos um projeto super simpático para você saber como nos apoiar. Será um prazer ter a sua marca em nosso evento! 😉

Beijos cítricos e lupulados!