Positive Vibe na Cerveja

Por Patrícia Sanches

A cerveja foi um divisor de águas na minha vida. Logo eu que vivia numa bolha social de pessoas com os mesmos valores e vivências parecidas; me deparei com uma diversidade de pensamentos, profissões, orientações políticas e sexuais, econômicas, religiosas (e sem religião), diferentes corpos e entendimentos sobre eles, diferentes gêneros e nem sempre respeito pelas especificações. Enfim, uma variedade sem tamanho. E aprender sobre tudo isso, de forma intensa, foi o maior ganho da cerveja pra mim.

A Confraria Maria Bonita Beer me salvou, me fez conhecer o mundo de verdade, em todas as suas nuances, cores e sabores. Porque ter acesso a visões diferentes da sua, te transforma! ❤

De 2009 pra cá, fiz muitas amizades, fizemos (mais de 100 mulheres) da Maria Bonita Beer um trabalho que alcançou algumas partes do país e se enraíza localmente com força, a cada ano. Com isso conseguimos impactar algumas garotas que hoje (trabalham, estudam, divulgam, fomentam cerveja). Pois, representatividade importa! E do mesmo jeito que os bônus vieram, alguns ônus também apareceram. Mas apesar de presentes (os ônus), eles não tem impacto significativo em quem somos e no que fazemos.

E o que eu quero falar com isso? 

“Para realizar uma ação positiva, devemos desenvolver aqui uma visão positiva.” – Dalai Lama

Temos presenciado algumas tretas cervejeiras nesse universo e a maioria delas é pautada em fazer o mal a alguém. As mais icônicas são as da Helles:  que consiste em notificar  judicialmente cervejarias que usem o estilo helles em seus rótulos e isso envolveu até o INPI; e a da cervejaria que não quer como clientes as pessoas que tem orientação sexual diferente das dos donos da cervejaria – o detalhe é que são caseiros, imagina se fossem registradas e com poder de marketing/influência.

Mas aí você pode pensar: ahhh mas é assim que eles ganham fama, são conhecidos.. é o marketing negativo que faz aparecer. Será? Será que é assim, sobre essa base de rancor que as coisas precisam acontecer?

PS: Essa frase não se aplica a situações de violência em que você esteja sendo vítima. Seja lá de qual tipo (psicológica, moral, física, sexual).

E se lembrarmos do case da cerveja manchinha? Diversas cervejarias do BRASIL se uniram para arrecadar fundos para a causa animal, em homenagem a um animalzinho que morreu de forma violenta. Ou do case Batom Vermelho (no qual a nossa confraria participou de forma importante) e que uniu cervejeiras do BRASIL para arrecadas fundos para a causa de proteção a mulher. Ou até mesmo da campanha local que estamos fazendo para arrecadas fundos para a nossa querida Regina (clique aqui para contribuir), que versa sobre vender camiseta, até mesmo fazer uma brassagem coletiva educativa para arrecadar fundos para o tratamento dela de câncer de mama – na causa do outubro rosa.

E mais uma vez, você pode se perguntar, o que eu quero falar com isso? 

Eu quero dizer, que a cerveja nasceu em vibe de união e não segregação. A cerveja sempre foi sobre estar junto e não estar só. Os grupos de cerveja que movimentaram o Brasil, tinha como pauta o compartilhamento, a colaboração. SEMPRE FOI ASSIM. E não há motivos para deixar de ser. A cerveja como hobby tem um poder incalculável. Mas a cerveja também é um negócio? Sim. E dos bons! Porém, não precisa ter impacto negativo. Não é pra ser assim.

“Depois de substituir pensamentos negativos por positivos, você começará a ter resultados positivos”.
– Willie Nelson

Tudo que a gente faz serve de exemplo. Não adianta ser o ativista da rede social, se quando você tem o poder nas suas mãos, você não faz a diferença. É muito mais sobre fazer, que falar! É muito mais sobre plantar sementes, do que colher as flores (pois este, é um caminho natural se você regou de forma certa). A cerveja e seu universo tão vasto e plural, precisa de bons sentimentos aliados a uma vibe positiva.

Façamos nosso trabalho, mas sem perder de vista quem somos e o impacto que causamos ou podemos causar no mundo. EMPATIA E BONS EXEMPLOS: é o que a cerveja precisa para inspirar, contribuir e compartilhar.

Empatia significa a capacidade psicológica para sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. Consiste em tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo.

“O pensamento positivo é mais do que apenas um slogan. Isso muda a maneira como nos comportamos. E acredito firmemente que, quando sou positivo, não só me melhora, mas também melhora as pessoas ao meu redor. ”- Harvey Mackay

Ahhhhh e parabéns a ACERVA PERNAMBUCO que nos lembra todo ano, por meio da Hoptoberfest, que cerveja é abraço, compartilhamento e união. QUE FESTA, minhas amigas! Que festa! ❤

Que tenhamos uma boa semana. Um brinde a vibe positiva que reverbera dentro de nós e espalha para o mundo.

Como Fazer uma Cerveja Impura?

Por Nadhine França

dscf0377
Cerveja Satan na loirasdebigodes

 

Vamos fazer cerveja com maldade…

O Edital pro “Que Malte Pergunte… tem cerveja pura aí?” saiu na semana passada AQUI.

E vocês viram que o contra ponto para as cervejas da Lei da Pureza são cervejas que tenham em sua composição, no mínimo 3 ingredientes a mais do que os permitidos nesta Lei.

Vamos falar um pouco sobre as possibilidades…

ADJUNTOS (amiláceos) milho, arroz, centeio, mandioca, sorgo, aveia, xarope de maltose

Imagem: Geday do Brasil

Fiquem atentos, pois os adjuntos fontes de amido, só podem ser diretamente adicionado ao malte quando sua temperatura de gelatinização for inferior àquelas utilizadas durante a mosturação da cerveja!!! Caso contrário é preciso fazer uma gelatinização prévia objetivando expô-lo às enzimas presentes no malte.

ESPECIARIAS canela, cravo, anis estrelado, baunilha, nibs de cacau, café, gengibre, pimenta, zimbro, camomila, erva-doce, semente de coentro…

Imagem: Tulsiindian Cuisine

Estas são algumas das possibilidades. A maioria dessas podem ser adicionadas no final da fervura,  prevenindo assim o risco de contaminação, em contrapartida, pode reduzir a contribuição de aroma e em alguns casos pode trazer adstringência. Outras especiarias podem se beneficiar mais em adições posteriores como durante o fim da fermentação, na maturação ou no envase onde a cerveja já vai está saturada de álcool e lúpulo, portanto o risco de contaminação permanece pequeno.

FRUTAS E VERDURAS Manga, Goiaba, Limão, Laranja, Acerola, Cajú, Cajá, Pêssego, Abacaxi, Carambola, Pepino, Tomarilho…

São infinitas as possibilidades. As frutas podem ser adicionadas in natura, polpa, suco, geléia, xarope… Também pode ser adicionada no fim da fervura, fermentação, maturação ou até mesmo no serviço, como é o caso de xaropes que são adicionados na Berliner Weisse tradicionalmente. O cuidado aqui é com o açúcar da fruta. Se você não contar com ele pode ter uma cerveja muito mais alcoólica do que o esperado ou até uma surpresa nada agradável na refermentação por exemplo, já vimos garrafas explodirem na mão na pessoa!

MADEIRAS carvalho francês, carvalho americano, amburana, sassafrás, jaqueira, castanheira, pinho…

Imagem: Chips de carvalho

Temos uma riqueza de madeiras incrível! Apesar do tempo curto ( estamos à 37 dias da festa!), é possível usar chips de madeira pra trazer uma certa complexidade. Chips podem ser colocados até no barril na cerveja já pronta. Normalmente embebidos em algum destilado, que vai além de dificultar a proliferação de algum agente contaminante, vai trazer as características da bebida pra sua cerveja também, caso não queira isso, opte por uma vodka.

 LACTOBACILLUS lambicus, buchneri, casei, brevis; E PEDIOCOCOS

Imagem: Fine Art America

Como as leveduras de cerveja, os lactobacilos metabolizam os açúcares como a principal fonte de energia, mas, no lugar de álcool (como as leveduras), produzem ácido lático. Embora seja indesejável na maioria das cervejas, existem alguns estilos de cerveja para os quais os lactobacilos ajudam a criar parte do sabor característico da cerveja. Estes incluem a maioria das cervejas belgas ácidas, como lambics, sours americanas e até mesmo a tradicional Berliner weisse.

O malte geralmente tem grandes populações de Lactobacillus nas cascas. Então, algumas cervejarias alemãs usam uma pequena quantidade de malte para inocular no mosto não fermentado afim de  acidificá-lo. Este mosto secundátio “azedo” pode então ser usado para a acidificação do mosto principal sem violar a Reinheitsgebot (Lei da Pureza Alemã).

Onde comprar? Cliquei aqui.

LACTOSE, MEL E CHOCOLATE Milkshake IPA? Stout Capuccino? Mel de laranjeira, chocolate Porter…

Imagem: Huff Post Brasil

Aqui você entra na zona das bebidas mistas, assim considerada a cerveja que leva produtos de origem animal, pela nossa legislação.

A lactose é um açúcar granulado fino, não fermentado pelas leveduras, que adiciona corpo e textura macia às cervejas.  A lactose proporciona apenas 1/6  da doçura da sacarose, que é o açúcar de mesa, por isso não é doce, mas definitivamente pode dominar se você colocar muito. Você pode adicionar entre 2 a 7% de lactose no final da fervura para resultados interessantes.

Já o mel é totalmente fermentescível e pode alterar bastante seu cálculo de graduação alcoólica. Você pode adicionar nem qualquer etapa desde a fervura, fermentação, maturação ou até mesmo no envase. Mas cuidado para evitar explosões de garrafas. E a pasteurização é recomendada para adições a partir da fermentação primária.

O sabor de chocolate você pode encontrar na forma de nibs ou extrato de cacau. Caso você queira adicionar o chocolate mesmo, saiba que ele leva gordura e portanto, pode estragar com sua espuma. Experimente a misturinha de nibs de cacau na fervura com extrato de fava de baunilha na maturação. Isso te dará o sabor quase que exato do chocolate ao leite. #FICADICA

CORREÇÃO DE ÁGUA Cálcio, Magnésio, Sulfato, Zinco e Cloretos

Imagem: Huff Post Brasil

Vão ajudar no perfil da sua cerveja. Uma água “dura” (Cálcio e Magnésio) normalmente é mais indicada para cervejas escuras, enquanto a água “mole” é indicada para a fabricação de cervejas claras. Zinco na quantidade certa vai fazer bem às leveduras, o sódio pode deixar sua cerveja salgada como o famoso estilo da região de Goslar.

BRETT

Eu sei, eu sei… não temos mais de um ano pra ter cerveja com aroma de estábulo… hehehe, mas vocês sabiam que a bretta é usada para fermentação da cerveja afim de deixar o perfil dela frutado (pêssego, manga e abacaxi) e de final seco? Sim! Temos cervejas fresquinhas com a temida Brettanomyces. Apesar da fama, a Bretta pode sim ser controlada mesmo em casa. O segredo é sanitização! Uma boa limpeza, na verdade é o segredo sempre!

Ajudei ou Atrapalhei? Agora ficou uma dúvida maior né?

OBS: Manga in natura e polpa de manga pasteurizada, vão trazer as mesmas características sensoriais pra sua cerveja…nada contra você usar se quiser… mas não vai contar como ingrediente extra pro QMTP. Caju e doce de caju contam sim como elementos diferentes, pois além de um perfil diferente, ainda tem diferença grande em relação ao açúcar.

Beijos brettados

 

 

Cerveja Outback é premiada na “Copa do Mundo das Cervejas”

Rótulo produzido em parceria com a Colorado conquista medalha de bronze no World Beer Awards

Olá Cervejeiras(os)!

Essa semana, o World Beer Awards 2018 divulgou o ranking das melhores cervejas do mundo em diversas categorias. Entre as premiadas, a Cerveja Outback Colorado ficou entre as quatro melhores cervejas do ranking mundial na categoria Speciality Beer no estilo Experimental. Bem avaliada pela unicidade de sabor, aparência e aroma, a Cerveja Outback Colorado, do tipo Weiss, foi um grande destaque e trouxe para o Brasil a medalha de bronze.

Inspirada no famoso pão australiano do restaurante, a cerveja é apresentada em uma garrafa de 600 ml, possui 7% de teor alcoólico. De textura cremosa e sabor encorpado, traz na receita lúpulos australianos, centeio e açúcar mascavo. O rótulo traz ícones tribais e a imagem de um canguru, que remetem à inspiração da marca aos símbolos da Austrália. Realizado anualmente, o World Beer Awards é um dos mais importantes e influentes concursos cervejeiros do mundo. As degustações acontecem às cegas e centenas de cervejas de diversos países são avaliadas nos quesitos aroma, aparência, sabor e acabamento.


Sobre a Cervejaria Colorado

Desde sua fundação, em 1996, a Cervejaria Colorado vem ousando e misturando os mais legítimos sabores brasileiros em suas cervejas. Os tradicionais ingredientes malte e lúpulo foram combinados com ingredientes da nossa terra escolhidos a dedo, como café, rapadura, mandioca e mel, explorando nossa riqueza de sabores e convidando o consumidor a explorar deste universo de uma maneira diferente.

 

Sobre o Outback Steakhouse

A rede Outback Steakhouse possui 92 restaurantes no Brasil, está presente em 38 cidades, 14 Estados brasileiros e Distrito Federal. No mundo está em 22 países entre Américas, Ásia e Oceania. O primeiro restaurante no país foi inaugurado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, em 1997. Com seus cortes de carne especiais e aperitivos icônicos como a Bloomin’ Onion®, o Outback caiu no gosto do brasileiro graças à qualidade, fartura e sabor marcante da culinária oferecida somados à descontração no atendimento e as instalações aconchegantes.

Encontro Nacional das Acervas – BH 2018

Por Nadhine França ❤

Esse ano o Encontro Nacional da ACervAs foi na terra maravilhosa: Beagá. Quem lembra do evento do ano passado, sabe o quanto foi bom e o trabalho que a ACervA mineira teve pra entregar um evento à altura. E assim o fez.

20180602_143459

Se você ainda não sabe o que é uma Acerva, a Associação de Cervejeiros Artesanais é uma entidades sem fins lucrativos e de abrangência estadual. E unificando todas as Acervas brasileiras, temos a Acerva Brasil, que promove encontros periódicos nas quais os membros de cada região confraternizam e trocam informações.

A parceria da Acerva MG com o Hotel Holliday Inn, além de proporcionar um conforto na hora das palestras, coffee breaks incríveis, teve um atendimento ótimo e o hotel é super organizado.

Se não tem mar, tem bar

Em minas a máxima “Se não tem mar, tem bar” é levada bem à sério. E uma das formas legais de conhecer vários bares é fazendo um “Pub Crawl”, onde um grupo de pessoas faz um tour guiado visitando vários bares e tomando pelo menos uma cerveja em cada um. A ACervA mineira organizou dois dias de visitas à bares e à cervejarias.

Além disso, fez parceria com vários dos bares locais para os Acervianos terem descontos ou promoções especiais. Entraram nessa lista:

Wäls GastroPub, Casa OLEC, Lamas, Uaimii, BeerStock, Mr. Hoppy, Fürst Tap Room, Rhara Growler Station, Meat Please, Sväten Mugg, Stadt Jever, Hofbräuhaus, Jacinta, Dobeer e Köbes.

Deu pra entender o tamanho da bronca de visitar esses lugares em tão pouco tempo, né? É…não deu. Mas deu pra visitar muita coisa e logo sai um post sobre alguns dos lugares mais legais de Beagá.

As rotas foram em bairros da cidade de Nova Lima, vizinha de Belo Horizonte, onde se localizam uma super concentração das cervejarias.

Rota 1:
Ateliê Wäls (Olhos D’água)
Cervejaria Krug Bier (Jardim Canadá)
Cervejaria Vinil (Jardim Canadá)

(Clique na seta para passar as imagens)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rota 2:
Cervejaria Backer – Pátio Cervejeiro ( Oolhos D’água)
Cervejaria Küd (Jardim Canadá)
Cervejaria Verace (Jardim Canadá)

Bônus: – Cervejaria Koala (Jardim Canadá)

O BeerCrawl foi o mesmo roteiro dos 2 dias – 19:30 às 1:00 por BH mesmo, saindo do Hotel parceiro e passando pelos:
Lamas Brew Shop
Casa Olec
Beerstock

(Clique na seta para passar as imagens)

Este slideshow necessita de JavaScript.

A festa foi incrível. Num lugar mais afastado chamado Macacos, fomos até o bar do Marcinho. Onde todos os Acervianos se encontraram para confraternizar e distribuir os prêmios para os ganhadores do concurso.

Nem tudo são flores

Esse ano infelizmente não mandamos nenhuma amostra. Apesar de ter feito três brassagens pensando na festa, após degustá-las julgamos não estarem à altura de concurso… pois é, shit happens pequenos problemas no processo causaram alguns defeitos indesejados e isso só nos motiva a querer aprender sempre mais.

Mais festa…

Mas voltando pra festa… Foram três ônibus e algumas vans para nosso translado. Foram 58 bicos com muita cerveja dos caseiros e das cervejarias parceiras, duas bandas tocando o mais clássico do rock’n roll, comida típica mineira à vontade do inicio ao final da festa e muita, muita animação!

Concurso

Foram 521 amostras recebidas e divididas entre os 54 juízes que julgaram no concurso. Trabalho duro pra eles!

DSC_0359

Vale citar que o cervejeiro caseiro da Acerva PE, Dalison Costa, o neguim, ficou em 3º lugar no estilo English Porter. Parabéns, Dalison!

Mais festa…

No domingo ainda teve o churrasco dos sobreviventes. Com muita cerveja novamente e uma galera animada até o último dia.

DSC_0368

Fotos e vídeos de Giovanni Presotti (Obrigada, Giovanni! ❤ )

Próximo Nacional será em…?

O próximo encontro é no Espírito Santo e já estamos ansiosos para esse evento maravilhoso! Iae! Quem vai?

screenshot_20180602-215508.png

Beijos carbonatados!

Cerveja para Casamento

❤ Por Nadhine França

 

Olá Cervejeiras!  Sim! Algumas de nós já fomos BrideZillas!!! Mas “siacalme” que vamos te ajudar a calcular a quantidade de cerveja por convidados, escolher o estilo e até a beber na festa!

bridezilla
O termo “Bridezilla” é uma junção da palavra “bride” (“noiva”, em inglês) com “Godzilla”, o dinossauro lendário que devastou o Japão nos cinemas. E refere-se ao sentimento que a noiva feliz e agradável, chegando perto do casamento virou uma Bridezilla, que grita com os fornecedores, bate o pé, não dorme e só quer que sua festa saia perfeita.

Sobre a Quantidade

Isso vai depender muito das outras bebidas, do estilo da festa, dos estilos das cervejas escolhidas e do perfil dos seus convidados…  Mas calma! Encha seu copo… sente… relaxe… que vamos te ajudar…

1937477_821174784592502_931973221802979640_n

Numa festa tradicional, normalmente são servidos para beber: água, suco, refrigerante. Se na sua  festa a cerveja artesanal for a única bebida alcoólica, pense aí numa medida de 1.2L – 1.5L (estou levando em consideração que se é a unica bebida, é porque seus convidados gostam de verdade da danada… se for de dia e no nosso inferno calorzinho recifense então…).

A conta normal pra uma festa com uísque e espumante, ou drinks, é uma garrafa por pessoa, ou seja 600ml (pode puxar pra 1 litro se sua galera da cerva gosta de avacalhar o sistema). Então uma festa pra 200 convidados deveriam ter confortáveis 120 litros de cerveja.

Sobre os Estilos

Oh! Dúvida cruel!

Regra Geral: Você vai beber na sua festa, então escolha um estilo de cerveja que você goste!

É normal priorizar estilos mais populares, uma lager geladinha costuma agradar bebedores acostumados com especiais… e bebedores das populares…

Maaaaaassss a festa é sua e se quiser tomar RIS (Russian Imperial Stout) pra se acabar, coloque! (Só se prepare pro estado do banheiro da festa… Muito sério.)!

Em geral o melhor é o meio termo… Em geral as cervejarias podem vender barris de distintos estilos para sua celebração e ai você pode escolher uma mais leve como: German Pils, Munich Helles, American Wheat, Weiss… E  também optar por  estilos para quem está um pouco mais acostumado com as artesanais, como: APA, American IPA e até Portes e Stouts.

Imagina só casamento com uma deliciosa Vienna ou uma Porter! Sim! Podemos (inclusive foi uma das minhas escolhas).

Você também pode pensar na harmonização com suas comidinhas. Não precisa ser nenhuma expert no assunto, basta uma combinação simples como uma Witbier super leve e gostosa com os camarões da entrada volante e um risoto de frutos do mar do jantar (Oh!).

Sobre a Festa

Sabemos que você vai estar encantada, nervosa, querendo falar com todo mundo, dançar e curtir a festa…mas… lembre-se de comer, tomar bastante (eu falei bastaaaante) água e tomar as cervejas que deram tanto trabalho para escolher!

Caso você tenha contratado o serviço de cerimonialista, fica um pouco mais fácil. Elas são uma espécie de babá de noiva mesmo! Se não você não come, sério.

Extra: Lembrancinhas

As cervejas artesanais também são uma ótima lembrancinha. Você pode escolher um estilo que represente a cara do casal e que talvez não fosse tão fácil de beber assim na festa.

O legal mesmo é usar a identidade visual do casamento na embalagem das garrafinhas. Assim elas realmente vão servir ao propósito de lembrancinha. E alguns convidados vão até querer guardar como enfeite mesmo (acredite!).

Falando em guardar… se a grana tiver sobrando… bem que vocês poderiam ter uma cerveja de guarda né? Imagina que legal poder tomar a cerveja do seu casamento nos aniversários de um ano, dois, três… e se apaixonando por ela cada vez mais a cada ano!

15732013_1423034594427827_1283530634456002285_o

O canal PattLou e o Cervejaterapia falaram sobre isso aqui.

Esperamos ter ajudado. Mas se tiver qualquer dúvida, fala conosco. Estamos sempre dispostas à ajudar amantes do pão líquido e, principalmente, ajudar noivinhas boazinhas.
Beijos lupulados!

Viagem Cervejeira – São Paulo e Curitiba

Por Nadhine França

Já estou com saudades dessas férias (E como vou repetir parte da dose em Maio…), então vim compartilhar com vocês um pouquinho do que rolou nessa passagem pelas cidades de São Paulo e de Curitiba.

A cidade que não dorme, claro que está acompanhando esse boom da cerveja artesanal, e por isso, cada semestre que você for vai ter mais e mais locais novos pra visitar.

Eu fui no fim do ano passado e trago aqui algumas indicações pra vocês visitarem. Vou trazer umas novidades e outras nem tão novas assim, mas que valem à pena.

Segura que vem pedrada! O post é longo(porque é muita coisa boa!)…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Começando bem…essa é a nova casa da Goose Island, famosa cervejaria localizada em Chicago, Illinois, que começou como um simples pub aberto por John Hall em maio de 1988. Em são paulo ela veio em formato de brewpub (fábrica de cerveja + bar) num ambiente gostosíssimo tanto pra um almoço à tarde, quanto para uma noite beirando à badalação (sim, fui nos dois horários, porque um lugar desses, bixo…).

20171124_001536
Os olhos chega brilham com essa cozinha maravilhosa

A sugestão aqui é aproveitar as réguas (aliás, leve essa dica pra sua vida! réguas são uma forma maravilhosa de conhecer a maioria das cervejas locais, sem medo de ser feliz…vai decidir quais são suas favoritas, aí sim, pede o pint feliz da vida) , além de poder tomar aquelas que são um pouquinho mais difíceis de achar… Gillian, Julieta… ah…

IMG_20171123_225537823

 

Depois de se apaixonar pela gringa abrasileirada, outro amor foi pelo espaço da Cervejarias Avós. Primeiro porque esse nome já é super acolhedor né! Depois, porque não tem como não se apaixonar um por local assim…

Este slideshow necessita de JavaScript.

São apenas quatro taps, dá pra ficar no balcão tranquilamente conversando com a galera, tem evento as vezes e sempre uma operação de comidinha por lá, minha sugestão é de passar lá pro esquenta, ou só tomar uma enquanto enche seu growler mesmo.

Vale destacar que a Cervejaria Avós é cigana na Cervejaria Dádiva e produzem muitas cervejas boas.

20171123_201022
Essa é Véia Láctea! Uma Sour Wheat Lager com adição de amora e mirtilo e teor alcoólico de 3,6%. feita em parceria com a Cervejaria Synergy

 

Saindo da tranquilidade da casa da vó… Vamos para Brewdog a cervejaria escocesa, localizada em Ellon, tem bares pelo mundo todo. O de São Paulo possui 22 taps de divididos em cervejas da “casa” e convidadas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aqui eu também fui nas réguas, depois aproveitei uma promoção que tava rolando da famosa session pale ale Dead Pony Club que dá pra tomar litros.

 

Voltando para cerveja de terras brasileiras passei na Cervejaria Nacional – Made in aqui mesmo .  Que além das cervejas da casa tinha no tap umas colaborativas. As Cervejas da casa

IMG_20171128_214849236
Mais uma régua pra coleção…

Lá encontrei essas lindas: Rebeca Barreto, Cilene Saorin e Lari Pascoal

IMG-20171201-WA0033

A Rebeca é da Cervejaria Tribal e participou da idealização da Cerveja Naruna essa belíssima

20171128_214157
Naruna é a lenda de uma índia chefe da tribo no Amazonas que pintava suas guerreiras com urucum, lutou bravamente contra a imposição do sistema patriarcal. Super empoderada. É de tomar chorando em saber que nessa lenda os filhos do Sol ganham essa guerra…e ela se transforma na Lua… Mas vamos continuar lutando né, mores!

 

Tem lugar que por mais pressa que a gente passe em São Paulo, temos que dar aquela passadinha né? É assim com vocês com o EAP?

20171130_150329
Dei a sorte de passar por lá justamente quando estava engatado um barril de Geuze da Cantillon, cervejaria familiar de Bruxelas fundada em 1900. Tem noção da raridade disso?!?!?!

Outro lugar que a gente sempre dá aquela passadinha nem que seja só pra dar um oi é o bar da Dellirium.

20171126_152400

Deixa eu voltar pras novidades…já estou me perdendo…

Âmbar é um bar novo, localizado em Pinheiros com um cardápio super deli, água da casa, atendimento impecável (Daqueles que pedem pra você voltar sempre), 15 taps de cervejas nacionais de qualidade. Acho que deu pra notar que vale muito à pena ir lá, né? Achei massa e todo mundo que eu recomendei se apaixonou também.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Cateto abriu uma nova casa em Pinheiros… e se você não tiver com pena do seu ryco dynheirinho… Passe lá! Não é apenas uma experiência cervejeira é conjunto completo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Levei falta, mas recomendo mesmo assim:

Cervejaria Dogma

Com algumas das cervejas mais amadas… Cafuza <3. Com os rótulos mais baphônicos… A Dogma não precisa de muitos dos meu comentários. Só vou justificar minha não ida: mosquei. hahahahahaha. NÃO comam mosca feito eu (perdendo o horário de atendimento deles dois dias), visitem o espaço.

27072802_1425264194265831_7317795762496553892_n
foto de divulgação

Cervejaria Trilha

Tomei várias das cervejas deles em outras casas… e todas foram maravilhosas. Não à toa, a cerveja fica sempre fresca e na melhor condição possível, pois eles optaram por produzir lotes pequenos, no formato chope e em cadeia refrigerada. Infelizmente não consegui encaixar a visita na agenda. Mas posso indicar aqui como uma que vale à pena.

25358385_1871282639848431_3288430899071098295_o
foto de divulgação

 

Por puro acaso do destino dei sorte de pegar um evento cervejeiro na Eataly a Festa della birra! O Eataly é um mercado gourmet que existe em todo mundo, e é um ótimo lugar pra achar umas cervejinhas boas.

Nesse evento teve a participação da Dama, Dádiva, Krug, Joffrey, Blondine, entre outras e foi bem legal.

 

Dica bônus: Se você, assim como eu, adora cerveja and porco, no centro de São Paulo tem um templo totalmente dedicado à ele. A Casa do Porco é amor. Tem uma IPA da casa que é da cervejaria Blondine, além de opções de rauchbier caso você queira harmonizar bacon com bacon ❤

 

E…. #partiu Curitibaaaa!

20171203_155558.jpg

Se você achava que eu já tinha bebido muita cerveja nessa trip… SP foi só um pedaço!

Chegando em Cwb, Curica, Curita fomos recepcionados por um evento cervejeiro no Mercado Municipal. BodeBrown, Bier Hoff, Ogre Beer e lojas. Foi uma ótima boas-vindas caldereta personalizada, muita cerveja, num clima super amistoso.

Visitamos o Hop’n Roll que não é uma casa nova, mas tem uma proposta super legal. É um Brewpub com 32 torneiras de chope (Réguas em formato de braço de guitarra!) uma looonga carta de cervejas e comidas pra encher o bucho da mesa inteira.

O grupo possui um serviço bem legal que possibilita você fazer sua própria cerveja na utilizando produtos e cozinha deles, ou seja, brassar em uma cervejaria de qualidade profissional e anda acompanhado pelo mestre cervejeiro da casa. Legal, né?

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O We are Bastards Pub está num casarão lindo, decoração arrasante e muita breja boa! Quer mais? Tem produtos exclusivos, apresentações de bandas massa… enfim, apenas vá!

pub
fonte: divulgação Trip Advisor

 

O Distrito 1344 impressionou. Pense num lugar completo! Tem oficina, lava motos, barbearia, customização, loja de motos, loja de roupas e acessórios, bar com lounge, hamburgueria, tattoos, cervejaria artesanal e palco para shows.

Nesse dia eu não sabia se bebia os drinks maravilhosos com gin do Taj Pharmacy (Por favor…tomem algum antídoto nesse lugar!) se tomava as cervejas do Beer Garage ou se tomava drink no Buffalo Bar que são servidos em copos feitos com garrafas de Jack Daniel’s e Jagermeister. Resultado… experimentei tudo né! Dá um olhada na programação da casa, rola umas bandas muito boas também.

 

 

No B33R Club além de poder se cadastrar no club pra ter descontos nas cervejas do tap e das encontradas nas três casas da marca, você pode tomar chope das 24 torneiras da unidade do centro, encher seu growler e ter um atendimento super educado e empático.

b33r
foto divulgação

 

Toda sexta e sábado a Nova Fabrica Bode Brown fecha a rua, coloca banda, alguns food trucks na frente e muita gente vai pra lá curtir a vibe e as boas cervejas da BodeBrown. Não precisa de apresentações né? A BodeBrown além de premiada caiu no gosto da galera e não à toa é a cervejaria que causa frisson nos festivais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Eles usam a solução do MyTapp um sistema de autosserviço super eficiente. Que aqui em Recife temos no Marcolino Tap House.

 

A próxima viagem tá pertinho. Vamos curtir mais um pouco da minha paixão por SP e a maravilhosa BH. Espero não demorar tanto pra fazer o post. -.-‘  hahahahahaha

beijos lupuladoooos

 

 

Viagem Cervejeira – Córdoba (ARG) | MBB Viaja

Por Nadhine França

Vamos falar de coisa boa! A tekpix… Viajar é bom demais né!

O passeio cervejeiro de hoje é na terra dos hermanos. Dando uma volta por Córdoba deu pra perceber que a cidade tá fervendo quando o assunto é cerveja artesanal. Vários pubs recém abertos e muito pra crescer ainda! Fiquei na área que eles chamam de Nova Córdoba, então só vou falar das coisas que encontrei por lá.

Nem só de Fernet vivem os Hermanos…

Capitán

Vamos começar pelo Capitán…

Eu amo o estilo industrial… e ele tá super em alta em Córdoba. O Capitán fica no final de um Galpão imenso com várias outras lojas super legais. Com uma estrutura super imponente toda de concreto e canos metálicos pintados de vermelho.

No tap, várias opções de cervejas artesanais de cervejarias locais pra agradar todos os gostos, desde as mais frescas e leves às super lupuladas ou super maltadas.

Ambiente descolado que vale uma visitinha.

22730488_930540507098381_8892680853674594971_n
Foto: divulgação

PEÑON

Música eletrônica, cerveja artesanal, num ambiente moderno e com um atendimento super gentil.

20170916_200943.jpg
Foto: Nadhine França

A conversa pode até ficar difícil…mas as cervejas e o atendimento fazem a casa ser visita obrigatória. Nos taps: as cervejas fixas da casa, duas experimentações e duas convidadas.

Tinha uma Barley wine que tava incrível. As cervejas de linha da casa podem ser compradas em latinhas por lá e tem um preço bem bonzinho.

Foto: Nadhine França
Foto: Nadhine França

Cuatro Catorce

Foto: Nadhine França

A Cuatro Catorce támbem fica numa galeria de lojas que era um galpão (que vale muito a visita, além de linda, tem sorveteria, cafeteria, e lojinhas muito legais: Muy Guemes), um local descontraído que esbanja possibilidades de interações sociais.

20170917_004735
Foto: Nadhine França

 Antares

O pub da cervejaria Antares fica super bem localizado. Já é um ambiente pra você comer e beber mais tranquilo com os amigos (apesar de poder ficar cheio e com filas…).  Petiscos e hambúrgueres bem gostosos. Cervejas um pouco mais conhecidas em terras brazucas.

Foto: Nadhine França
Foto: Nadhine França
Foto: Nadhine França

The Barbeer

É isso mesmo…uma barberaria e cervejaria. Bem legal por sinal!

Foto: Nadhine França

Fica a dica

  • É legal perguntar sempre se o local aceita cartão de crédito (tarjeta) , muitos locais não aceitam.
  • Outra dica legal é aproveitar que a cidade é bem universitária, nos happy hours da vida pois praticamente todos os bares possuem promoções de clone no horário.

Dica extra:

Córdoba fica pertinho da Vila General Belgrano, que além de ter um lago lindo no caminho é uma cidadezinha de arquitetura típica Bavieira que tem uma Oktoberfest super famosa, então você pode se programar pra ir lá nessa época.

20170916_122515.jpg
Fazendo amizades…

Beijos lupulados e felizes! =*

A tradição da Schornstein no QMTP 2018!

Por Clarice Concê

A história da cerveja no Brasil está intimamente ligada à imigração alemã na região Sul do país e é justamente da cidade considerada a mais alemã do país (Pomerode, SC) que vem mais uma cervejaria participante do QMTP 2018: a Schornstein!

LEI DA PUREZA

A tradição cervejeira na Alemanha é fundamental para a história da cerveja. Foi lá que surgiu, por exemplo, a lei de defesa ao consumidor mais ainda em validade: a Lei da Pureza de 1516, ou a Reinheitsgebot, que define a produção de cerveja com quatro ingredientes, sendo eles malte, lúpulo, água e levedura (adicionada no século XVII). É verdade que outras questões estavam envolvidas no desenvolvimento da lei (econômica e política principalmente), mas não podemos negar que muitas pessoas sem conhecimentos cervejeiros tentaram se dar bem no mercado com bebidas de baixa qualidade, usando ingredientes sem qualquer controle, como cogumelos venenosos e até bile de boi!

Mas a Lei da Pureza não foi a única a causar um grande impacto na tradição cervejeira alemã. Durante muito tempo a cerveja só podia ser fabricada no outono e no inverno. Esse período de temperaturas mais baixas era ideal para que os microorganismos de baixa fermentação atuassem no mosto, enquanto bactérias e leveduras ale ficavam inativas. Daí a cultura das lagers ser tão forte na Alemanha.

É seguindo a tradição e a paixão alemã (e utilizando apenas malte, lúpulo, água e levedura!) que a Schornstein produz desde 2006 suas premiadas cervejas. Aliás, só no ano de 2017 foram 6 cervejas premiadas, sem contar o prêmio de queridinha dos cervejeiros da Schornstein IPA, porque não tem como errar com ela.

Fonte: Divulgação.

Festival Schornstein

No ano em que a cervejaria completou 10 anos, uma nova tradição surgiu em Pomerode. O Festival Schornstein, que conta com atrações musicais e gastronômicas, além de muita cerveja boa, é um grande evento de rua, bem em frente à fábrica e acontece em junho, mês de aniversário da Schornstein. Vale ou não vale ir para o calendário cervejeiro?

Primeira edição do Schornstein Festival. Fonte: All Beers.
Fonte: Fábrica da Schornstein

Quer garantir seu ingresso e degustar a sua Schornstein? Então clica aqui e não fica de fora da festa mais esperada do ano, no calendário cervejeiro de Pernambuco.

 

Hoptoberfest 2017 – Ganhamos mais um prêmio!

❤ Por Marias Bonitas

Chris, Fernanda Ueno (simpatia em pessoa), Rodrigo e Lucy | Foto: João Castelo Branco

Panorama

Minha gente, o que foi essa Hoptoberfest 2017? Que lugar maravilhoso! Nunca vimos tanta gente linda compartilhando o mesmo objetivo: conhecer as cervejas dos(as) cervejeiros(as) caseiros(as) Pernambucanos (e artesanais brasileiras, pois tivemos cervejas de fora do estado).

Foto: João Castelo Branco
Foto: João Castelo Branco

O local da festa era amplo, aberto, arejado! As chopeiras estavam bem distribuídas, mas as filas eram inevitáveis, porém até que passava rápido com a conversa! 2000L de cerveja brasileira! ❤

Foto: João Castelo Branco
Foto: João Castelo Branco
Foto: João Castelo Branco
Foto: João Castelo Branco
Foto: João Castelo Branco
A querida cerveja Paulistense de Márcia e Beth!

COMIDAS

Como opção de comida, tivemos a nossa parceira do QMTP, a Kwai Burguer!

Foto: João Castelo Branco

MÚSICA

Foram 3 atrações musicais: Xote Marley, Coff e DJ da Lata, que colocaram todo mundo pra balançar o esqueleto entre uma cerveja e outra. 🙂

Foto: João Castelo Branco

CONCURSO

A grande atração da festa foi o concurso anual da ACERVA-PE! Esse ano o desafio era produzir German Pils, Belgian Dubbel, Berliner Weiss e Catharina Sour!

.
Todo mundo ansioso pra saber os campeões e no rufar dos tambores….

.
Isoladamente em todos os prêmios tivemos uma Maria Bonita:

  • Flávia Marques (a grande campeã da noite, juntamente com seu marido Vitor, levaram todos os primeiros lugares, SIM! em todos os estilos avaliados;
  • Lucy Cavalcante e Christophe, ficaram com o segundo lugar no estilo Belgian Dubbel;
  • Juliana Cavalcanti, da nossa querida Villa do Malte, ficou com terceiro lugar no estilo Belgian Dubbel.

*Se liga na barra lateral do blog, que já tem medalha nova! ❤

Não faltou prêmio nessa foto. | Foto: João Castelo Branco
O casal Harmonic ganhou o primeiro lugar em TODAS as categorias. | Foto: João Castelo Branco
Lucy comemorando sua premiação | Foto: João Castelo Branco

Além disso, enquanto as Marias Bonitas juntas, levamos o segundo lugar na Catharina Sour. o/

Foto: João Castelo Branco

Foi bom né? Parabéns a equipe de diretores e associados da ACERVA-PE, envolvidos nessa festa tão linda e que tem lugar em nossos corações. Aguardando já a Hoptoberfest de 2018!

Beijos lupulados!

 

Sobre Ales e Lagers

❤ Por Gabi Ramos

Se você trabalha com cervejas ou costuma conversar sobre isso com seus amigos, em algum momento já se deparou com a pergunta “em que momento adiciona o álcool?”. Esse é daqueles momentos em que a gente se arrepende de ter cochilado na aula de química rsrs!

Bom, o álcool não é adicionado, ele é produzido por uns serumaninhos microrganismos que chamamos de leveduras. Mas não é só na gente que essas leveduras pregam peças, quando a cerveja começou a ser produzida as pessoas não tinham conhecimento desse processo de produção de álcool, elas sentiam o efeito inebriante daquele líquido e achavam que tal bebida era um presente dos deuses para a humanidade. Na Alemanha em 1516 criou-se uma lei que determinava que a cerveja deveria ser pura, ou seja, em sua receita só poderia ser utilizado lúpulo, água e malte. Só no século XVII é que Louis Pasteur através de estudos sobre bebidas fermentadas conseguiu provar a existência desse “quarto elemento” e a lei foi modificada para (lúpulo, água, malte e leveduras) .

De forma simplificada, as leveduras são como artistas que pegam a matéria bruta (açúcares fermentescíveis) e transformam em uma obra de arte (álcool).

Claro que ocorrem várias reações químicas nesse processo, mas não vamos nos apegar a isso, precisamos saber que isso é um resumo, uma vez que a fermentação vai muito além do álcool. Outros compostos são formados nessa etapa e eles que fazem da levedura a grande estrela de todo o processo de produção de cerveja.

As leveduras são divididas em duas grandes famílias as Ales e Lagers. No grupo das Ales estão as leveduras que trabalham em temperaturas mais elevadas, geralmente têm um perfil aromático intenso e contribui com na formação dos aromas e sabores da cerveja. Já as Lagers são leveduras mais tímidas, que trabalham em temperaturas mais frias e não interferem muito nas características sensoriais do produto, deixando o protagonismo dos aromas da cerveja para o lúpulo e o malte.

Além desses tradicionais tipos de levedura existem as leveduras selvagens, que irão se encaixar em alguma das famílias de acordo com a temperatura que vá fermentar o mosto. A grande diferença é que nesse caso, a levedura não é adicionada pelo cervejeiro, ela está presente no ambiente e é inoculada de forma natural (o líquido em contato com o ar). Essas leveduras têm um perfil sensorial bem peculiar, que dão à cerveja uma acidez mais elevada do que o paladar comum está acostumado e aromas inusitados como notas que lembram fazenda, animais e ainda toques de especiarias.

Ultrapassando os limites do torrado e do amargo, as cervejas apresentam uma série de características que devem ser conhecidas e exploradas!