Como Fazer uma Cerveja Impura?

Por Nadhine França

dscf0377
Cerveja Satan na loirasdebigodes

 

Vamos fazer cerveja com maldade…

O Edital pro “Que Malte Pergunte… tem cerveja pura aí?” saiu na semana passada AQUI.

E vocês viram que o contra ponto para as cervejas da Lei da Pureza são cervejas que tenham em sua composição, no mínimo 3 ingredientes a mais do que os permitidos nesta Lei.

Vamos falar um pouco sobre as possibilidades…

ADJUNTOS (amiláceos) milho, arroz, centeio, mandioca, sorgo, aveia, xarope de maltose

Imagem: Geday do Brasil

Fiquem atentos, pois os adjuntos fontes de amido, só podem ser diretamente adicionado ao malte quando sua temperatura de gelatinização for inferior àquelas utilizadas durante a mosturação da cerveja!!! Caso contrário é preciso fazer uma gelatinização prévia objetivando expô-lo às enzimas presentes no malte.

ESPECIARIAS canela, cravo, anis estrelado, baunilha, nibs de cacau, café, gengibre, pimenta, zimbro, camomila, erva-doce, semente de coentro…

Imagem: Tulsiindian Cuisine

Estas são algumas das possibilidades. A maioria dessas podem ser adicionadas no final da fervura,  prevenindo assim o risco de contaminação, em contrapartida, pode reduzir a contribuição de aroma e em alguns casos pode trazer adstringência. Outras especiarias podem se beneficiar mais em adições posteriores como durante o fim da fermentação, na maturação ou no envase onde a cerveja já vai está saturada de álcool e lúpulo, portanto o risco de contaminação permanece pequeno.

FRUTAS E VERDURAS Manga, Goiaba, Limão, Laranja, Acerola, Cajú, Cajá, Pêssego, Abacaxi, Carambola, Pepino, Tomarilho…

São infinitas as possibilidades. As frutas podem ser adicionadas in natura, polpa, suco, geléia, xarope… Também pode ser adicionada no fim da fervura, fermentação, maturação ou até mesmo no serviço, como é o caso de xaropes que são adicionados na Berliner Weisse tradicionalmente. O cuidado aqui é com o açúcar da fruta. Se você não contar com ele pode ter uma cerveja muito mais alcoólica do que o esperado ou até uma surpresa nada agradável na refermentação por exemplo, já vimos garrafas explodirem na mão na pessoa!

MADEIRAS carvalho francês, carvalho americano, amburana, sassafrás, jaqueira, castanheira, pinho…

Imagem: Chips de carvalho

Temos uma riqueza de madeiras incrível! Apesar do tempo curto ( estamos à 37 dias da festa!), é possível usar chips de madeira pra trazer uma certa complexidade. Chips podem ser colocados até no barril na cerveja já pronta. Normalmente embebidos em algum destilado, que vai além de dificultar a proliferação de algum agente contaminante, vai trazer as características da bebida pra sua cerveja também, caso não queira isso, opte por uma vodka.

 LACTOBACILLUS lambicus, buchneri, casei, brevis; E PEDIOCOCOS

Imagem: Fine Art America

Como as leveduras de cerveja, os lactobacilos metabolizam os açúcares como a principal fonte de energia, mas, no lugar de álcool (como as leveduras), produzem ácido lático. Embora seja indesejável na maioria das cervejas, existem alguns estilos de cerveja para os quais os lactobacilos ajudam a criar parte do sabor característico da cerveja. Estes incluem a maioria das cervejas belgas ácidas, como lambics, sours americanas e até mesmo a tradicional Berliner weisse.

O malte geralmente tem grandes populações de Lactobacillus nas cascas. Então, algumas cervejarias alemãs usam uma pequena quantidade de malte para inocular no mosto não fermentado afim de  acidificá-lo. Este mosto secundátio “azedo” pode então ser usado para a acidificação do mosto principal sem violar a Reinheitsgebot (Lei da Pureza Alemã).

Onde comprar? Cliquei aqui.

LACTOSE, MEL E CHOCOLATE Milkshake IPA? Stout Capuccino? Mel de laranjeira, chocolate Porter…

Imagem: Huff Post Brasil

Aqui você entra na zona das bebidas mistas, assim considerada a cerveja que leva produtos de origem animal, pela nossa legislação.

A lactose é um açúcar granulado fino, não fermentado pelas leveduras, que adiciona corpo e textura macia às cervejas.  A lactose proporciona apenas 1/6  da doçura da sacarose, que é o açúcar de mesa, por isso não é doce, mas definitivamente pode dominar se você colocar muito. Você pode adicionar entre 2 a 7% de lactose no final da fervura para resultados interessantes.

Já o mel é totalmente fermentescível e pode alterar bastante seu cálculo de graduação alcoólica. Você pode adicionar nem qualquer etapa desde a fervura, fermentação, maturação ou até mesmo no envase. Mas cuidado para evitar explosões de garrafas. E a pasteurização é recomendada para adições a partir da fermentação primária.

O sabor de chocolate você pode encontrar na forma de nibs ou extrato de cacau. Caso você queira adicionar o chocolate mesmo, saiba que ele leva gordura e portanto, pode estragar com sua espuma. Experimente a misturinha de nibs de cacau na fervura com extrato de fava de baunilha na maturação. Isso te dará o sabor quase que exato do chocolate ao leite. #FICADICA

CORREÇÃO DE ÁGUA Cálcio, Magnésio, Sulfato, Zinco e Cloretos

Imagem: Huff Post Brasil

Vão ajudar no perfil da sua cerveja. Uma água “dura” (Cálcio e Magnésio) normalmente é mais indicada para cervejas escuras, enquanto a água “mole” é indicada para a fabricação de cervejas claras. Zinco na quantidade certa vai fazer bem às leveduras, o sódio pode deixar sua cerveja salgada como o famoso estilo da região de Goslar.

BRETT

Eu sei, eu sei… não temos mais de um ano pra ter cerveja com aroma de estábulo… hehehe, mas vocês sabiam que a bretta é usada para fermentação da cerveja afim de deixar o perfil dela frutado (pêssego, manga e abacaxi) e de final seco? Sim! Temos cervejas fresquinhas com a temida Brettanomyces. Apesar da fama, a Bretta pode sim ser controlada mesmo em casa. O segredo é sanitização! Uma boa limpeza, na verdade é o segredo sempre!

Ajudei ou Atrapalhei? Agora ficou uma dúvida maior né?

OBS: Manga in natura e polpa de manga pasteurizada, vão trazer as mesmas características sensoriais pra sua cerveja…nada contra você usar se quiser… mas não vai contar como ingrediente extra pro QMTP. Caju e doce de caju contam sim como elementos diferentes, pois além de um perfil diferente, ainda tem diferença grande em relação ao açúcar.

Beijos brettados

 

 

Como fazer uma cerveja pura?

Por Nadhine França e Lucy Cavalcante ❤

Passo um: Procure um padre

Passo dois: Peça para que ele benza a água que você irá utilizar…

hehehe Não não não é nada disso que estamos falando…

1 t7UyORrcUA9vVGaMgZ3slg
Papa Bento XVI comemorando o aniversário de 90 anos Fonte: /medium.com

Muita gente já ouviu falar da REINHEITSGEBOT (pronúncia em inglês: Rine-hites-ge-boat), essa é a lei de pureza alemã, uma das leis que regulamentaram a cerveja na história da humanidade.

“Rein” significa limpo ou puro; “-heit” significa “-eza”; então “Reinheit” seria “limpeza” ou “pureza”; “Gebot” significa “Mandamento” ou “Lei”.

Se trata de uma série de regulamentações que limitam os ingredientes da cerveja na Alemanha. A versão mais conhecida da Lei foi adotada na Baviera em 1516. A norma limitava a utilização apenas de água, cevada e lúpulo para fabricação da cerveja bávara. Só no século 20, a regulamentação foi atualizada para incluir a levedura – as amiguinhas só foram descobertas no século 19, por Louis Pasteur, por isso não entrava na lista antes. A norma ainda passou a permitir a utilização de outros cereais além da cevada, como o trigo.
Na verdade a Lei sofreu várias adaptações para o mercado moderno, como liberar o uso de açúcar, assim como a limitação do uso de nutrientes para as leveduras, a adição de gás carbônico (sem ser apenas através da fermentação) e do tratamento dos insumos, como por exemplo a reutilização de leveduras.

A Escola Alemã cervejeira nos remete ao trabalho feito com maestria com insumos limitados e possibilidades enormes. É um grande desafio.

Resultado de imagem para treta meme

Sem querer criar polêmica… mas já criando… (#Treta hehehe) estamos falando aqui de fazer a cerveja com perfeição, em sua essência. O que deveria ser a lição de casa de todo cervejeir@. Faça uma boa lager, antes de colocar lúpulo de rodo para disfarçar possíveis problemas (na verdade, não faça isso!).

 

Boa parte dos estilos da família Lager surgiram aqui. Cervejas de perfil mais limpo. As leveduras ficam na parte de baixo do tanque de fermentação ao longo do processo e possuem baixa resistência as altas temperaturas. Trabalham de maneira mais lenta, o que contribui para um líquido mais límpido. A menor complexidade, se dá ao fato das leveduras liberarem menos ésteres durante o processo.

O “Que malte pergunte…Tem cerveja Pura aí?” vem cheio de desafios interessantes, como sempre, pra noss@s cervejeir@s mais criativ@s esquentarem suas barriguinhas no fogão e mandar ver nas cervejas maravilindas!!! \o/

Resultado de imagem para estilos de cerveja alemã

Alguns estilos de cervejas típicos da Escola Alemã:

PILSEN OU PILS Da cidade de Plzen (Pilsen em Checo) na República Checa. Tem como característica o seu amargor, a cristalinidade e espuma branca e compacta. Cada país tem a sua tipologia de Pils, modificando um pouco as suas características originais.

MUNCHENER  da cidade de Munique, originalmente escura, com notas de malte tostado, fruta seca, chocolate e pouco amarga. A Helles (clara em alemão), tem o malte mais evidente e tende ao doce de cereais e com baixo amargor.

DUNKEL – SCHWARZBIERAs Dunkel são versões escuras de alguns tipos de cervejas claras alemãs, produzidas através de maltes tostados. As Schwarzbier são cervejas escuras onde os maltes tostados chegam a dar aromas e sabores de chocolate, café e castanha, mas sem configurar o tostado no sabor.

VIENNA Nasceu na Áustria. As suas características são a sua coloração avermelhada com espuma branca e compacta, aroma de biscoito e frutas vermelhas, álcool baixo e médio amargor.

MARZEN e OKTOBERFESTBIER Marzen é produzida em março com uma cor âmbar e graduação alcoólica levemente alta. Já a, famosa por sua festa, Oktoberfestbier possui uma cor dourado levemente escuro, corpo redondo, com toques de biscoito e malte.

BOCK e DOPPELBOCK Da cidade de Einbeck na Alemanha. É uma cerveja escura e densa com perfumes de malte, frutas vermelhas e mel, pouco amarga. A Doppelbock é uma versão mais rica e encorpada, invernal com notas tostadas e frutadas.

DORTMUND EXPORT Da cidade de Dortmund. Cerveja clara menos amarga em comparação a uma Pilsen, teor alcoólico mais alto, mais redonda e gaseificada.

RAUCHBIER da região da Franconia na Alemanha, especificamente da cidade de Bamberg, com uma característica marcante de aroma e sabor defumados.

KÖLSCH Da cidade de Köln na Alemanha. De cor dourada e límpida, geralmente com um amargor leve, limpo e delicado, corpo muito leve, com aromas de lúpulo e floral e final seco.

WEIZEN ou WEISS da família Ale. Cerveja típica da Bavária. A levedura Weizen usada, dá um aroma frutado, geralmente de banana madura e temperos como o cravo. Kristallweizen versão filtrada e cristalina. Weizenbock ou Weizendunkel, possuem coloração mais escura, corpo cheio e graduação alcoólica elevada, além das características de uma Weizen, normal podem proporcionar toques de frutas vermelhas, tostado e café.

GOSE  O estilo alemão que não vai entrar na nossa lista de puras é da cidade de Leipzig na Alemanha. Estilo de trigo com características salgadas e láticas. O sal era natural da água da região por isso não vamos conseguir fazê-la sem ajustes… O que faz dela uma ótima pedida para uma cerveja do lado impuro da história… .\,,/

mapa_cervejas_alemas
Mapa super bacana encontrado da 99biere.de encontrado no beercast.com.br

Beijos translúcidos e delicados!

 

Que Malte Pergunte: tem cerveja pura aí?

Por Marias Bonitas

Olá cervejeiras(os)!
Durante a Hoptoberfest todo mundo ficou sabendo pelas redes sociais, o tema do Que Malte Pergunte (QMTP) 2019. Sim!!!! Esse mesmo do título do post.

SENHORAS E SENHORES!

Gostaríamos de anunciar o QUE MALTE PERGUNTE… TEM CERVEJA PURA AÍ?

O “Que malte pergunte…” (QMTP) nasceu da vontade das confreiras da Maria Bonita Beer em estimular os(as) produtores(as) de cerveja artesanal da região, a saírem da zona de conforto e se desafiarem a criar cervejas baseadas em temáticas específicas.

Na edição “  Tem cerveja pura aí?” a proposta é fazer uma verdadeira batalha entre cervejas da Escola Alemã e que seguem a Lei da Pureza e as cervejas que chamaremos de “Impuras”, todas as maravilhosidades de estilos que acrescentamos algo mais que água, malte, lúpulo e levedura (além de açúcar de cana e beterraba e malte de trigo).  Se você faz cerveja, escolha um lado e defenda com unhas e dentes.

Mas é claro que a gente tinha que adicionar aquele toque desafiaDOR! 😉

Cervejeiros(as) caseiros(as) “profissas” sabem o quanto é difícil fazer cervejas corretas dentro do estilo, sem adição de adjuntos, frutas, flores, especiarias… Cervejas alemãs são delicadas e incríveis. Quem escolher esse lado, tem que ser reverenciado(a) (clap, clap, clap – palmas lentas). Temos 50 dias. Comecem logoooo…

Por outro lado, a criatividade domina nas impuras. Mas aqui como não é casa de mãe Joana, tem regrinhas bem específicas. Então quem escolher as impuras, terá que usar pelo menos 3 ingredientes extras à Lei da Pureza (madeiras, especiarias, ervas, chás, flores…)

Se você é cervejeira(o) caseiro e deseja trocar cerveja por ingresso, clique aqui e faça o download do regulamento.

Você é uma pessoa pura ou impura?
Mu-HAHAHA

O nosso objetivo é:

  • fomentar a cultura cervejeira no estado de Pernambuco valorizando os produtores;
  • estimular a troca de conhecimento entre os(as) cervejeiros(as) caseiros(as) em um momento de confraternização;
  • apresentar para a comunidade, as microcervejarias e os micronegócios locais relacionados a cerveja.

Ao longo dos próximos dias, vocês receberão mais detalhes do  Que malte pergunte… tem pura aí? em nossas redes sociais e aqui no blog.  Então a dica é seguir a gente em tudo que é canto.

Facebook: /mariabonitabeer
Instagram: @mariabonitabeer

Os ingressos serão vendidos logo mais!

INTERESSADO EM APOIAR NOSSO EVENTO?

Envie um email para mariabonitabeer@gmail.com o quanto antes, e te enviaremos um projeto super simpático para você saber como nos apoiar. Será um prazer ter a sua marca em nosso evento! 

Beijos impuros pra vcs! ❤

Aniversário da Cervejaria Raffe

Por Nadhine França 

Quem acompanha nosso Instagram (e podem seguir aqui!). Viu que temos uma relação toda especial com essa cervejaria de Natal. E claro que marcamos presença na festa de aniversário dos meninos.

Contam a história que o nome Raffe tem origem numa língua antiga que significa “Aquele que aconselha os lobos” e por isso o lobo está tão presente na história da cervejaria… seja na marca seja no covil…

IMG-20181003-WA0020
Ouuu tem uma resposta mais simples… Raffe = Raul, Adriano (Bozo) e Fernando. Será que foi só coincidência?

A festa foi na Arena das Dúnas, estádio na cidade de Natal, que além de partidas de futebol, tem a capacidade de abrigar eventos de grande porte, exposições e… Eventos cervejeiros como esse 🙂

IMG-20181003-WA0021

A festa foi super organizada com vários pontos para escolher sua cerveja, copos personalizados e boas opções de comida.

A animação foi por conta de Halisson Rasta, DJ Gustavo Rocha, Dusouto e Jack Black. E os shows foram incríveis!

IMG-20181003-WA0022
Eu no meio com as confreiras The Queen Suélia e Suane

A festa teve Flashes de tattoos com Sandro Freitas (artista exclusivo dos rótulos da Cervejaria Raffe).

IMG-20181003-WA0024

Além das cervejas da Raffe e a participação de várias cervejarias convidadas, rolaram os lançamentos:

  • da Ribeira, uma Double IPA (8.2% abv) com um perfil de lúpulos que mistura cítrico americano com uma pegada tropical dos lúpulos da Oceania, preza por um corpo mais leve e uma alta drinkability…
  • da Dark Sour Floresta Negra, a Dark Sour of the Moon, é com adição de geleia de frutas vermelhas, o que confere uma parcela de dulçor trazendo mais complexidade a Dark Sour original já tão amada da Raffe…
  • da Morena Tropicana, um cerveja incrível com a adição de todas as frutas da música de Alceu Valença de mesmo nome. Isso mesmo! Uma imperial stout com 12% abv , densa, licorosa e que trás todas as nuances das frutas da música. Predomina o dulçor, mas com notas tropicais das frutas e demais elementos. É pra beber cantando!

Morena Tropicana – Alceu Valença

Da manga rosa
Quero gosto e o sumo
Melão maduro, sapoti, juá
Jaboticaba, teu olhar noturno
Beijo travoso de umbu cajá

Pele macia
É carne de caju!
Saliva doce, doce mel
Mel de uruçu

Linda morena
Fruta de vez temporana
Caldo de cana caiana

Vou te desfrutar!
Linda morena
Fruta de vez temporana
Caldo de cana caiana
Vem me desfrutar!

IMG-20181003-WA0025IMG-20181003-WA0026

A convidadas foram: Mindubier (BA), Cervejaria Oito (RS), Cabocla (RN), 5 elementos (CE),  2 de Julho (BA), Urbana (SP), Locomotive (SC), Hop Mundi (RN), Ekaut (PE), DUM (PR), Estrada (PE), Trek Beer (RN), Caatinga Rocks (AL).

IMG-20181003-WA0027

Se não conhece ainda, vale super à pena passar no covil dos rapazes. Nas sextas e sábados, além da cerveja de super qualidade, tem um ambiente amistoso e acolhedor.

Essas fotos lindas são oficiais do evento de Ian Rassari @ianrassari

Beijos de manga rosa, melão, saputi, juá…

Cerveja Batom Vermelho – Catharina Sour

❤ Por Nadhine França
Outubro é o mês do combate ao câncer de mama. E tem como objetivo conscientizar as
mulheres sobre importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Esse ano, confrarias e coletivos femininos cervejeiros de todo país se uniram em torno
dessa causa. A proposta foi fazer uma cerveja temática com o intuito de conscientização e arrecadação de doações para instituições de combate à esse câncer.
Com apoio da Cervejaria Dádiva, onde foram produzidos aproximadamente 1.600L da cerveja nos dias 10 e 11 de setembro. Com insumos da Realli e Levteck e o rótulo da Label Impressões. As confrarias são responsáveis por buscar novas parcerias para divulgação e venda em parceiros locais além de realização de eventos de lançamento.
20180910_090148
Esse é o primeiro passo para construção de uma Associação Feminina Cervejeira, que possua os objetivos em comum desses coletivos femininos cervejeiros.
Os objetivos são: disseminar a cultura cervejeira, fomentar a profissionalização da mulher no meio cervejeiro, promover o consumo consciente, realizar medidas contra o machismo tanto no ambiente profissional, quanto nos ambientes de consumo.

CONHEÇA OS COLETIVOS FEMININOS DA CERVEJA NO BRASIL PARTICIPANTES

APOIADORES:

Cervejaria Dádiva: São 20 mulheres trabalhando na Dádiva, da produção ao financeiro, da liderança à operação. A cervejaria preza pelo equilíbrio entre os gêneros e estão certos de que isso contribui para um melhor ambiente de trabalho. Por isso, incentivam mulheres a trabalharem em áreas tradicionalmente masculinas, e levantam a bandeira do feminismo e da valorização da mulher no dia-a-dia. Esta é a contribuição para a criação de uma sociedade com mais igualdade e respeito.
Levteck: É uma empresa fundada e liderada exclusivamente por mulheres apaixonadas por biotecnologia, especialistas em leveduras de alta qualidade para cervejas. Sempre foi foco da empresa mostrar a importância da valorização da mulher.
Realli Insumos Cervejeiros: A Realli tem a missão de contribuir com o mercado cervejeiro nacional com os melhores insumos e soluções, trazendo conhecimento e ajudando na expansão da cultura da cerveja artesanal. E as mulheres têm um papel fundamental no universo cervejeiro e na construção deste mercado. Uma empresa formada por um time de mestre-cervejeiras e sommelières que contribuem com muito trabalho e conhecimento para crescermos a cada dia.
Label Sonic Impressões: Além da presença de mulheres no seu quadro de funcionários. A Label Sonic acredita que a cerveja artesanal é um novo tipo de indústria, mais colaborativa e sem espaços para preconceitos. E a mulher é papel fundamental neste espaço, como sempre foi historicamente, contribuindo e fortalecendo a cultura cervejeira.

Catharina – A polêmica – Sour

Foi escolhido o estilo por suas características. Moderna, e super em alta no mercado cervejeiro, a Catharina Sour acaba de ser classificada temporariamente como estilo no guia de Estilos BJCP. Ela é uma cerveja:
  • De trigo, leve e refrescante;
  • De alta fermentação;
  • Amargor imperceptível;
  • Acidez assertiva;
  • Destaque no aroma e sabor para a fruta utilizada;
  • Podendo ser complementada por especiarias.

O hibisco é uma planta originária da China, Usada para trazer uma bela cor que vai do rosa ao vermelho.

É um estilo que se pretende agradar à todos que curtem uma boa limonada ou espumantes (pela acidez e carbonatação intensa), com alta drinkability e boa adaptação a vários climas e contextos.

O estilo é feito principalmente usando o método Kettle Sour. Onde o processo da brassagem tem mais etapas.
Após as rampas da mostura é feita uma pequena fervura apenas para diminuir as chances de outra bactéria de desenvolver. A temperatura é diminuída até próximo dos 40° C, onde acontece o inoculo das cepas de Lactobacillus. Fazemos então uma “cama” com CO2 e cobrir com plástico filme para evitar a oxigenação, facilitando o trabalho do lacto.

Monitorando o pH e experimentando é como você vai saber se a acidificação está progredindo. O pH deve atingir cerca de 3.4 a 3.2, que deve demorar de 24 à 48 horas. Uma vez que o alvo do pH é atingido, fervemos o mosto no procedimento normal da brassagem. Em seguida, é adicionado o lúpulo (apenas uma pequena quantidade). Para só então, resfriar na temperatura de fermentação da levedura ale escolhida, com perfil neutro e atenuante.

Batom vermelho foi o nome escolhido como um objeto que representa a importância da valorização da autoestima feminina. Não existe obrigação de se maquiar para se sentir mulher, do mesmo jeito, o uso de longos cabelos. É preciso desconstruir a imagem idealizada da mulher e dar um novo olhar as mulheres reais que estão ao nosso redor.

Com as vendas da cerveja esperamos compartilhar informações básicas sobre a prevenção desse câncer e valorizar a autoestima das mulheres que passaram por processo de mastectomia e quimioterapia. Além de arrecadar dinheiro para instituições que trabalhem com a prevenção do câncer.

Associação Feminina Cervejeira?

A ideia de uma Associação Feminina Cervejeira é antiga, espelhadas na Pink Boots Society, ONG americana com os objetivos consonantes, e julgando necessário um órgão que além de entender as necessidades locais, tenha proximidade com as instituições nacionais. Existem muitas coisas legais para fazermos, algumas ideias são:

  • um banco de currículo e vagas destinadas ao meio cervejeiro;
  • congresso itinerante com palestrantes mulheres referência no mercado para todos do setor cervejeiro;
  • cursos de formação cervejeira e/ou bolsas em instituições de ensino cervejeiro para as associadas;
  • incentivo à pesquisas e projetos de valorização da mulher no universo cervejeiro;
  • realização de eventos;
  • projetos de conscientização de brigadas dos estabelecimentos cervejeiros.

Até o momento somos 21confrarias e coletivos femininos cervejeiros, que mobilizam mais de 470 mulheres diretamente e muito mais de maneira indireta.

20180910_180711

Todas com o desejo em comum de universalizar o mundo cervejeiro de maneira equivalente, independente de gênero.

O final da brassagem não poderia ser diferente. Brindamos com a ELA, uma Barley Wine feita por um movimento semelhante em 2016 que doou para instituições que trabalham contra a violência contra a mulher.

LANÇAMENTO DA BATOM 

Evento de lançamento em Recife dia 24/10 às 18h no Ekaut Läb que fica na Galeria Corta Jaca Av. Conselheiro Aguiar, 3572 – Boa Viagem, Recife – PE.

Vai acontecer um bate-papo inicial com representantes da ONG Guerreiras do Calendário, brindes, sorteio e a DJ Natascha Lux vai tomar conta do som com uma playlist toda especial!

Lançamento

Ela tá linda? Tá! Tá cheirosa? Tá! Tá gostosa? Tá!

Esperamos todos vocês lá!!!!!

Confira também em outras mídias:

Guia da Cerveja

Globo.com

Malte money

Lupulinário

 

Cerveja Outback é premiada na “Copa do Mundo das Cervejas”

Rótulo produzido em parceria com a Colorado conquista medalha de bronze no World Beer Awards

Olá Cervejeiras(os)!

Essa semana, o World Beer Awards 2018 divulgou o ranking das melhores cervejas do mundo em diversas categorias. Entre as premiadas, a Cerveja Outback Colorado ficou entre as quatro melhores cervejas do ranking mundial na categoria Speciality Beer no estilo Experimental. Bem avaliada pela unicidade de sabor, aparência e aroma, a Cerveja Outback Colorado, do tipo Weiss, foi um grande destaque e trouxe para o Brasil a medalha de bronze.

Inspirada no famoso pão australiano do restaurante, a cerveja é apresentada em uma garrafa de 600 ml, possui 7% de teor alcoólico. De textura cremosa e sabor encorpado, traz na receita lúpulos australianos, centeio e açúcar mascavo. O rótulo traz ícones tribais e a imagem de um canguru, que remetem à inspiração da marca aos símbolos da Austrália. Realizado anualmente, o World Beer Awards é um dos mais importantes e influentes concursos cervejeiros do mundo. As degustações acontecem às cegas e centenas de cervejas de diversos países são avaliadas nos quesitos aroma, aparência, sabor e acabamento.


Sobre a Cervejaria Colorado

Desde sua fundação, em 1996, a Cervejaria Colorado vem ousando e misturando os mais legítimos sabores brasileiros em suas cervejas. Os tradicionais ingredientes malte e lúpulo foram combinados com ingredientes da nossa terra escolhidos a dedo, como café, rapadura, mandioca e mel, explorando nossa riqueza de sabores e convidando o consumidor a explorar deste universo de uma maneira diferente.

 

Sobre o Outback Steakhouse

A rede Outback Steakhouse possui 92 restaurantes no Brasil, está presente em 38 cidades, 14 Estados brasileiros e Distrito Federal. No mundo está em 22 países entre Américas, Ásia e Oceania. O primeiro restaurante no país foi inaugurado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, em 1997. Com seus cortes de carne especiais e aperitivos icônicos como a Bloomin’ Onion®, o Outback caiu no gosto do brasileiro graças à qualidade, fartura e sabor marcante da culinária oferecida somados à descontração no atendimento e as instalações aconchegantes.

O que tem dentro de uma cerveja artesanal?

❤ Por Patt Sanches

Ingredientes: água, malte, lúpulo, levedura, equipe, suor, sangue, frustração, felicidade, realização, amigos, boletos, lágrimas, famílias, sono, cansaço, criatividade, inspiração, beleza, likes, marketing, vendas, metas, “vamos fechar?”, “aguenta mais um pouco”, amor, muito amor, dinheiro, capital de giro, fiscalização, sanitização, tempo de prateleira, boas práticas de fabricação, impostos, frete, fornecedores, clientes, impostos, impostos, impostos, impostos, reforma, construção, crescimento, análises, testes, revisões, inovação, planilhas, contatos, feedback, apoio, incentivo, empreendedorismo, logística, comprometimento, ansiedade, “quero sua cerveja”, “essa cerveja é cara”, “que cerveja incrível”, “que cerveja amarga”, mais impostos, estudos, ciência, desenvolvimento local, responsabilidade, ainda mais amor.

Atenção alérgicos: CONTÉM muito trabalho.

Beijos lupulados!

Ekäut Lab – O Tasting Room da Cervejaria Ekäut

❤ Por Nadhine França e Julyana Alecrim

20180726_173957

A cervejaria Ekäut vocês já conhecem né? Nossa parceira em vários eventos, premiada em concursos nacionais e internacionais, resolveu seguir a tendência de várias outras cervejarias espalhadas pelo mundo e criar uma casinha pra chamar de sua. Foi assim com a Alehouse da cervejaria americana Dogfish, o Ateliê Wäls da cervejaria mineira Wäls.

A Ekäut Läb é realmente um laboratório para empresa, vai ser lá que os sócios Diogo, André e Bruno poderão testar novas receitas, oferecer novas experiências, colher feedbacks dos clientes, num espaço que tem o intuito de ser um ponto de encontro para os amantes da cerveja.

 

O espaço ficou lindo! Com uma decoração cheia de cuidado, mesas coletivas e balcão (amamos o balcão!) o Läb ainda pretende dar cursos, workshops, degustações e harmonizações. O atendimento é um capítulo à parte, nossa confreira Thalita Cachos, sommelière de cervejas já com muita experiência em harmonização e mixologia em Natal, veio pra somar e muito ao time que está sempre disposto à atender as expectativas do cliente, seja um iniciante ou um especialista no mundo cervejeiro.

20180801_112942 (1)
O balcão tem os insumos de várias das receitas da cervejaria. Além se didático e fornecer uma experiência super diferenciada para quem nunca viu como é feita uma cerveja, ficou muito bonito! Muito mesmo!

Lá você vai encontrar uma torneira exclusiva de água potável para os cliente de hidratarem. Já falamos mais de uma vez aqui a importância de se hidratar durante o consumo de bebida alcoólica né! Lembrem-se sempre!

20180801_113308
Além de atuar na hidratação do corpo, a água contribui na metabolização do álcool pelo fígado, diminui a agressão à mucosa estomacal e na viesalgia (ressaca). A cada 350ml de cerveja é indicado tomar 100ml de água pura.

São 15 torneiras no Tap, e além das já conhecidas e premiadas cervejas da Ekäut, também serão servidas cervejas convidadas de marcas locais e de fora.

20180801_111151

O cardápio vai do sanduiche vegano à tabua de frios com queijos Campo da Serra e embutidos Yaguara, passando por um bolinho de feijoada divino.

Além de tudo isso, o espaço conta com equipamento especifico para abastecimento de growlers por contrapressão e crowlers. O growler pode ser de diversos materiais, você pode comprar o seu da Ekäut, na própria loja, e é para consumo imediato, podendo ser armazenado por até três dias. Já o crowler é a latinha (can é lata em inglês + Growler) que permite você levar seu chope pra casa, numa embalagem mais prática (imagina só pra levar chope pra praia!), além disso o chope na latinha em temperatura refrigerada pode ter validade de até 30 dias!

O LÄB fica na Zona sul, na Av. Conselheiro Aguiar, 3572 – Galeria Corta Jaca – Boa Viagem. E funcionará de quarta à sexta das 16 à 0h, sábados das 10h à 0h e domingo das 12h às 19h.

20180726_183635

Beijos Maltados, Lupulados e fermentados!

Mulheres no mercado da cerveja artesanal

❤ Por Flávia Marques

No dia 30 de Maio de 2018, aconteceu o evento “Casa Rio Mar”, no Shopping Rio Mar, e à convite das Arquitetas Rosi Garcia e Kathellen Carvalho, eu estive lá, representando a Confraria Maria Bonita Beer (MBB), para um bate-papo sobre a inserção das mulheres no mercado cervejeiro.

Foto: @arteearquitetura

O espaço estava decorado como uma área de recepção para receber os amigos contendo sofá, mesa de jogos, mesa de sinuca e um bar com uma geladeira repleta de cervejas artesanais. Nesse bar, nosso Rafa, um dos proprietários do Capitão Taberna, atendia ao público que ansiava em beber uma cerveja especial.

Como o desafio não se limitava a falar da confraria MBB, mas também da atuação da mulher no mercado cervejeiro, como profissional, confesso que fiquei angustiada, pois não atuo no mercado cervejeiro profissionalmente.

 

Foto: @riomarcasa_news

Sou cervejeira caseira há quase dois anos e amo esse movimento que inspira pessoas a criar receitas de cervejas que gostaríamos de beber no bar, mas que só existem em nosso imaginário. Então por que não fazê-las?

Para unir essas ideias e ainda falar da presença da mulher nesse contexto, refleti sobre minha convivência com mulheres fantásticas que atuam profissionalmente no mercado cervejeiro como Sommelier de cervejas e mestre cervejeira, dentre outras possíveis áreas de atuação. O bate papo foi interessante e a conversa correu solta, pois falar do mundo das cervejas me deixa empolgada.

 

Foto: @riomarcasa_news

No encontro havia muitas mulheres e alguns poucos homens ouvindo e questionando sobre a produção de cervejas artesanais, onde são encontradas no Recife, se era fácil fazer uma cerveja de qualidade em casa, quanto tempo levava para ter a cerveja pronta…Mais importantemente perguntaram como a mulher se encaixa nesse mercado, se são bem aceitas, se sofrem preconceito… As respostas para estas últimas perguntas ajudam a explicar o surgimento da confraria MBB, cuja missão é exatamente descontruir o preconceito de que “cerveja é bebida de homem”. Cerveja é também para mulheres pode ser produzida por mulheres e pode ser uma profissão para mulheres.

Comentei também sobre o Instituto CERES de Educação Cervejeira, pois se era para falar da atuação da mulher no mercado cervejeiro, este Instituto dirigido por três mulheres especialistas em cerveja, surgiu para provar mais uma vez o momento efervescente para a mulher no mercado de cervejas pernambucano.

Nossa, foram muitas perguntas e espero ter esclarecido toda! Gosto de pensar que dei o recado e espero ter plantando algumas novas sementes naquele encontro.

Para finalizar o bate-papo, abrimos algumas cervejas que fiz com Vitor (my husband) para o público degustar, uma English Golden Ale. Pude contar com ajuda de nossa superamiga Renata Garcia, também uma MBB e que deu aquela força, grata Renatinha. Nesse momento bem descontraído, surgiram outras perguntas  e claro falar de cerveja artesanal e a inserção da mulher no mercado e ter nesse encontro uma cerveja feita em casa para brindar; foi lindo!

Abraços Maltados de Amor!

Flávia Marques

*Agradecimentos ao Rafael (CT) e as meninas Arquitetas Rosi Garcia e Kathellen Carvalho.

RecBier Fest- Evento na mais nova casa na Zona Sul

❤ Por Nadhine França
À pouco mais de um mês foi inaugurado o BrewPub RecBier. Num espaço massa em Boa Viagem (adoro um pé-direito alto <3… claustrofóbica feelings) com decoração e estrutura metálica que remetem a um ambiente fabril bem estiloso. Conta com 10 torneiras no tap comandadas pelo mestre cervejeiro Renato Santos e pela beer sommelière Roberta Cabral que assina toda a harmonização com o cardápio de petiscos da casa.
Brewpub é um modelo de comercio que se trata de bares que produzem a própria cerveja no local e só as vendem no próprio estabelecimento.
20180614_210900
As Marias na inauguração: Márcia Marcondes da Velha Marim, Chiara Barros do Instituto Ceres, Patrícia Sanches da PattLou e Ceres e Nadhine França
No sábado dia 28 vai rolar o Recbier Fest. Evento que irá reunir cervejeiros e apreciadores do pão líquido do Recife. O Festival traz à capital pernambucana 14 estilos de cervejas artesanais premiadas no Brasil e no mundo.
screenshot_20180718-090019.png
Esse será o primeiro festival de Cerveja artesanal da casa. E começaram em grande estilo né? Serão mais de 500L de cerveja distribuídos nos 14 estilos diferentes de várias cervejarias que já vimos passar por aqui.
O RecBier Fest será das 10h às 16h (se liga no horário!), no próprio RecBier Brewpub.
Com inspiração dos grandes festivais de cervejeiros de Blumenau, no Sul do país.
screenshot_20180718-090023.png
Olha a lista das cervejas que vão participar!!!!
O acesso ao evento será feito através de canecas personalizadas em número limitado no valor de R$100,00. A caneca é o passaporte de acesso ao Full Open Bar do evento.
O ingresso pode ser adquirido antecipadamente pelo Sympla ou comprado nos pontos físicos: barbearia  Favela Barbershop, em Boa Viagem ou no próprio RecBier.
Para o Festival, uma estrutura com variados espaços e shows de rock será montada. Contando com barbearia, estúdio de tatuagem e esmalteria, além de brindes para sorteio.
Fábio Rock e da Banda Freak Brothers são as atrações musicais que vão tomar conta do evento.
SERVIÇO: RecBier Fest
Sábado (28) | 10h
Ingressos: Caneca personalizada por R$ 100. Pontos físicos de venda são a barbearia  Favela Barbershop e no RecBier.
Informações: (81) 3128-1232
Aguardamos vocês lá!