Ir para conteúdo

Como fazer uma cerveja pura?

Por Nadhine França e Lucy Cavalcante ❤

Passo um: Procure um padre

Passo dois: Peça para que ele benza a água que você irá utilizar…

hehehe Não não não é nada disso que estamos falando…

1 t7UyORrcUA9vVGaMgZ3slg
Papa Bento XVI comemorando o aniversário de 90 anos Fonte: /medium.com

Muita gente já ouviu falar da REINHEITSGEBOT (pronúncia em inglês: Rine-hites-ge-boat), essa é a lei de pureza alemã, uma das leis que regulamentaram a cerveja na história da humanidade.

“Rein” significa limpo ou puro; “-heit” significa “-eza”; então “Reinheit” seria “limpeza” ou “pureza”; “Gebot” significa “Mandamento” ou “Lei”.

Se trata de uma série de regulamentações que limitam os ingredientes da cerveja na Alemanha. A versão mais conhecida da Lei foi adotada na Baviera em 1516. A norma limitava a utilização apenas de água, cevada e lúpulo para fabricação da cerveja bávara. Só no século 20, a regulamentação foi atualizada para incluir a levedura – as amiguinhas só foram descobertas no século 19, por Louis Pasteur, por isso não entrava na lista antes. A norma ainda passou a permitir a utilização de outros cereais além da cevada, como o trigo.
Na verdade a Lei sofreu várias adaptações para o mercado moderno, como liberar o uso de açúcar, assim como a limitação do uso de nutrientes para as leveduras, a adição de gás carbônico (sem ser apenas através da fermentação) e do tratamento dos insumos, como por exemplo a reutilização de leveduras.

A Escola Alemã cervejeira nos remete ao trabalho feito com maestria com insumos limitados e possibilidades enormes. É um grande desafio.

Resultado de imagem para treta meme

Sem querer criar polêmica… mas já criando… (#Treta hehehe) estamos falando aqui de fazer a cerveja com perfeição, em sua essência. O que deveria ser a lição de casa de todo cervejeir@. Faça uma boa lager, antes de colocar lúpulo de rodo para disfarçar possíveis problemas (na verdade, não faça isso!).

 

Boa parte dos estilos da família Lager surgiram aqui. Cervejas de perfil mais limpo. As leveduras ficam na parte de baixo do tanque de fermentação ao longo do processo e possuem baixa resistência as altas temperaturas. Trabalham de maneira mais lenta, o que contribui para um líquido mais límpido. A menor complexidade, se dá ao fato das leveduras liberarem menos ésteres durante o processo.

O “Que malte pergunte…Tem cerveja Pura aí?” vem cheio de desafios interessantes, como sempre, pra noss@s cervejeir@s mais criativ@s esquentarem suas barriguinhas no fogão e mandar ver nas cervejas maravilindas!!! \o/

Resultado de imagem para estilos de cerveja alemã

Alguns estilos de cervejas típicos da Escola Alemã:

PILSEN OU PILS Da cidade de Plzen (Pilsen em Checo) na República Checa. Tem como característica o seu amargor, a cristalinidade e espuma branca e compacta. Cada país tem a sua tipologia de Pils, modificando um pouco as suas características originais.

MUNCHENER  da cidade de Munique, originalmente escura, com notas de malte tostado, fruta seca, chocolate e pouco amarga. A Helles (clara em alemão), tem o malte mais evidente e tende ao doce de cereais e com baixo amargor.

DUNKEL – SCHWARZBIERAs Dunkel são versões escuras de alguns tipos de cervejas claras alemãs, produzidas através de maltes tostados. As Schwarzbier são cervejas escuras onde os maltes tostados chegam a dar aromas e sabores de chocolate, café e castanha, mas sem configurar o tostado no sabor.

VIENNA Nasceu na Áustria. As suas características são a sua coloração avermelhada com espuma branca e compacta, aroma de biscoito e frutas vermelhas, álcool baixo e médio amargor.

MARZEN e OKTOBERFESTBIER Marzen é produzida em março com uma cor âmbar e graduação alcoólica levemente alta. Já a, famosa por sua festa, Oktoberfestbier possui uma cor dourado levemente escuro, corpo redondo, com toques de biscoito e malte.

BOCK e DOPPELBOCK Da cidade de Einbeck na Alemanha. É uma cerveja escura e densa com perfumes de malte, frutas vermelhas e mel, pouco amarga. A Doppelbock é uma versão mais rica e encorpada, invernal com notas tostadas e frutadas.

DORTMUND EXPORT Da cidade de Dortmund. Cerveja clara menos amarga em comparação a uma Pilsen, teor alcoólico mais alto, mais redonda e gaseificada.

RAUCHBIER da região da Franconia na Alemanha, especificamente da cidade de Bamberg, com uma característica marcante de aroma e sabor defumados.

KÖLSCH Da cidade de Köln na Alemanha. De cor dourada e límpida, geralmente com um amargor leve, limpo e delicado, corpo muito leve, com aromas de lúpulo e floral e final seco.

WEIZEN ou WEISS da família Ale. Cerveja típica da Bavária. A levedura Weizen usada, dá um aroma frutado, geralmente de banana madura e temperos como o cravo. Kristallweizen versão filtrada e cristalina. Weizenbock ou Weizendunkel, possuem coloração mais escura, corpo cheio e graduação alcoólica elevada, além das características de uma Weizen, normal podem proporcionar toques de frutas vermelhas, tostado e café.

GOSE  O estilo alemão que não vai entrar na nossa lista de puras é da cidade de Leipzig na Alemanha. Estilo de trigo com características salgadas e láticas. O sal era natural da água da região por isso não vamos conseguir fazê-la sem ajustes… O que faz dela uma ótima pedida para uma cerveja do lado impuro da história… .\,,/

mapa_cervejas_alemas
Mapa super bacana encontrado da 99biere.de encontrado no beercast.com.br

Beijos translúcidos e delicados!

 

Um comentário em “Como fazer uma cerveja pura? Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: