Ir para conteúdo

Meu Instagram Cervejeiro Viu…? #01

❤ Por Patrícia Sanches

Estava eu passeando pelo blog Ideias de Fim de Semana, quando me deparei com uma postagem bem legal da Ana Terra sobre as fotos do Instagram dela. Ai resolvi criar esta coluna inspirada na dela, mas focada em observações do meu Instagram cervejeiro. Pois a graça do blog é que a gente pode escrever bem mais que no Instagram né? Vamos lá?

10

Eu declarando todo meu amor pela Octoberfest da Samuel Adams no Instagram. A cerveja que eu mais tomei durante a Lua de Mel nos acampamentos e nas fogueiras que fazíamos no Yosemite Park – CA. ❤ Trouxe duas na mala e elas hamonizaram super bem com um balde de pipoca e um filminho em um dia chuvoso com o maridão no sofá.

09

Inauguração dos rótulos da Cervejaria Jambreiro no Apolo Beer Café! A história dessa cerveja é bem legal e tem tudo a ver com essa cachorrinha Nina do rótulo. A Nina acompanhava o Humberto (mestre cervejeiro da Jambreiro), em toda brassagem e ficava à na porta, esperando ele terminar de fazer cervejas‬, para poder brincar de bolinha com ele. A Nina infelizmente faleceu bem no dia que Jambreiro conseguiu o registro do MAPA, que é um marco importante para qualquer microcervejaria. =(

08

Já esta foto foi outro dia que eu estava de bobeira neste lugar tão legal que é o Apolo Beer Café e ai o Raphael (um dos sócios do Apolo) me perguntou se eu já conhecia a Anunciação IPA da Tupiniquim. Eu disse que não e tive uma grata surpresa, pois adoro IPAs e essa é realmente muito boa! Adoro ir no Apolo porque me faz sentir dentro do Central Perk de Friends ou no Mclaren do How i met your mother. ^^

07

Essa foi na minha primeira brassagem encomendada (phyna) de uma cerveja de trigo que chamamos carinhosamente de Patt Weiss. É a segunda vez que faço ela e em todas as tentativas deu muito certo. Consigo notas de bananas bem fortes e o Lu sempre acha um sabor de cravo no meio (acho que é amor  demais<3 ).

06

Essa foto foi bem especial ❤

Foi o dia em que comemorei com o Lu, 7 meses de casados. Nosso casamento foi um dia tão especial regado a cerveja artesanal que as nossas bodas mensais não poderiam ser comemoradas de outra forma. Estávamos no Cenário Cuisine Bistrô, uma creperia bem charmosinha na Cidade Universitária que vende cervejas especiais e crepes com nomes de filmes. E a cerveja era uma IPA Hop da cervejaria Burgman, porque sou dessas que acham uma IPA refrescante e feliz.

05

Essa é a minha Belgian Pale com raspas de limão siciliano e Pimenta Habanero. Minha mais nova criação (que tá me dando um trabalho triste rs).

Essa foto foi tirada em um final de semana de brassagem para o concurso nacional das acervas. Até o presente momento ela já maturou e estava super transparente e  com uma cor alaranjada lindaaaa. Do jeitinho que eu queria. O sabor e o aroma bem característico do estilo, mas o ardor/queimação/picância  ainda não foi atingido do jeito que quero. Os procedimentos até então foram os seguintes:

  1. Durante a fervura coloquei pedaços da pimenta picada (sem sementes). Maturou e não pegou. Mas reservei uma parte em garrafa, porque vai que contamino com o próximo experimento né?
  2. Depois da maturação fervi uma “spice bag” com pedaços de duas pimentas + sementes e fiz um “dry hopping” de pimentas rs.  Achei que ficou um pouco turva, mas não alterou sabor e aroma. A picância ainda não foi atingida.
  3. Avacalhei e coloquei 4 pimentas picadas e maceradas com suas respectivas sementes. Fervi em uma panela com bem pouca água e ninguém conseguia entrar mais na área da “cervejaria”. Meu rosto queimava, espirrei 20x seguidas em 5 diferentes momentos. Minha roupa tinha pimenta, meu cabelo tinha pimenta e até hoje (2 dias depois) ainda tenho alguma pimenta nas unhas uhauahuaha. Ainda não sei se funcionou, mas vamos rezar para que sim né?

04

Este foi um dos encontros que a ACervA-PE promoveu no bairro da Torre, dentro do Open Time. É sempre muito divertido encontrar os amigos cervejeiros, se gabar da sua cerveja-filha que desta vez ficou boa, carbonatada, linda, aromática e não contaminou! o/

E o que dizer dessa foto?

  • Que tava beeem frio na Beer Cave do Open Time.
  • Que eu Gabi demoramos muito para escolher entre as dezenas de rótulos que tem ai dentro (e passamos frio kkk).
  • Que a mais bonita das Marias Bonitas sou eu.
  • E que não há nada melhor que ficar ligeiramente “feliz demais” bebendo a sua própria cerveja e a dos colegas artesãos.

02

Essa foto tem apenas dois objetivos:

1. Mostrar minhas lindas e frescas unhas pintadas em degradê de lilás até roxo. As manicures ficam loucas comigo quando chego com essas ideias “doidera”. kkkkk

2. Mostrar o meu gadget cervejeiro preferido que é este abridor de garrafas da Imaginarium que eu dei para o Lu de presente a muito tempo atrás e que quase não amassa as minhas tampinhas colecionáveis. ❤

01

E por fim e não menos importante, tem essa foto sem filtro. Este foi um brejadeiro (brigadeiro de cerveja) que fiz com uma cerveja preta que eu e o Lu estamos preparando também para o concurso nacional das acervas, uma Russian Imperial Stout. Ela não estava carbonatada ainda, então peguei o extrato e misturei com o leite condensado. O cheirinho que espalhou pela casa foi surreal de tão bom. Assim que eu melhorar a receita (com as quantidades certinha de cada coisa) eu posto por aqui no blog.

Espero que tenham gostado de viajar comigo no meu Instagram cervejeiro.

Segue lá @patriciapersi

Beijos carbonatados, Paty!

3 comentários em “Meu Instagram Cervejeiro Viu…? #01 Deixe um comentário

  1. Escrever é bom demais. É a oportunidade de eternizar o que passou pela nossa cabeça naquele momento. Foi pouco dizer só para quem estava do lado. Mais pessoas precisam precisam rir e se emocionar daquilo. Fico feliz te ter participado desses momentos.

    Cervejas me dão vontade de passar uma experiência para alguém. Ver o sorriso, por mais discreto que seja, depois do primeiro gole de cerveja. A cerveja que escolhemos juntos para ser degustada. Esse sorriso me deixa muito, muito feliz. Fico olhando, de longe, até ele aparecer. Já o vi até antes de buscar a cerveja escolhida. Vi sorrisos discretos no momento do brinde, ouvi gargalhadas como se o amargor fosse algo bem engraçado. Um bigode de espuma cremosa revelou os dentes antes de a língua limpar aqueles sabores. Um nariz amarronzado de palhaço apareceu em alguém que cheirou, profundamente, uma imperial porter bem densa.
    Mas nada se compara ao sorriso de alguém que está olhando nossa prateleira. Um sorriso indeciso, duvidando se aquela recompensa é real. São agradecimentos sem palavras. Dá vontade de dizer “de nada, jovem” e sorrir também.
    Quando o agradecimento é externado? Fico encabulado. Sem saber se eu quem devo agradecer… eu quem agradeço sempre soa tão clichê. Mas é uma verdade. Talvez sejam assim que verdades soem…
    Obrigado por irem ao Apolo e me fazerem sorrir.
    Raphael, do Apolo Beer Cafe, manda um forte abraço para vocês duas. Fica o convite para a confraria se reunir por lá, sempre. Certeza de sorrisos.

    Curtir

    • Rapha, que lindas palavras. Cerveja para mim é bem isso. Amizade, experiências, memórias e sorrisos!
      Muito bom ter vocês por perto e aprender tanto com vocês. Melhor ainda é ser bem acolhido e isso vocês do Apolo fazem com maestria!

      Um super beijo carbonatado, Paty!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: